De segunda a sexta-feira
das 12h às 14h
Radio WEB Radio Ao Vivo Acompanhe pelo RSS
nada
grupo noticias

Francisco Rocha: Destaque nas Vendas de Ônibus na Região

A Fachada da loja tem desing peculiar



Colunistas











links

>>
>>

jornalistas
Articulista


Cezar Ubaldo
cezarletrasdeubaldo@yahoo.com.br


Publicado em: 27/12/2012 - 14:12:05 Comentário

ANO NOVO. E A BAHIA, COMO FICARÁ



Estamos chegando ao final de mais um ano e com novas expectativas com a chegada do novo, como ocorre sempre. Tudo bem, com relação às festividades de boas festas, pois acreditar no bem, no que é bom, é uma maneira de massagear o nosso ego quando dizemos que no ano novo nos tornaremos vencedores.

Muito bom. Mas, as questões recorrentes ficarão esquecidas (interrogação). Vou exemplificar com um problema que deveria deixar os baianos de orelhas em pé, atentos ao que tramita pelo executivo, legislativo e judiciário, como a perda de milhares de hectares de terras baianas da região oeste, agraciando os estados de Goiás e Tocantins, diminuindo, assim, a nossa extensão territorial.

E, vai acontecer mesmo a divisão de parte do território baiano (sinal de interrogação). Bem, a resposta deveria vir dos políticos baianos, principalmente dos prefeitos, deputados estaduais, federais e vereadores que representam a região oeste, assim como dos outros tantos deputados nas esferas estadual e federal e senadores, da sociedade organizada, desenvolvendo uma pesada campanha contra essa proposta indecente, desrespeitosa para com o Estado da Bahia e os baianos nativos ou de coração.

A idéia de mudar a demarcação de terras não atinge a outros estados brasileiros, principalmente aqueles que têm governadores de peso e de decisões favoráveis aos seus estados, o que não é o caso da Bahia.

Ao longo dos últimos anos  nos tem faltado lideranças que sejam apaixonadas pelas causas da Bahia, que por conta disso só tem perdido espaço no processo de desenvolvimento para estados como Ceará e Pernambuco.

Então, a pergunta: para onde vamos, se temos como representantes politicos, políticos sem força voz para mudar essa praticamente realidade (sinal de interrogação), para ir às últimas consequências a favor da Bahia.

O genial Gregório de Mattos e Guerra já visualizava a Bahia,desde o período setecentista, quando já afirmava; "triste Bahia, ó quão dessemelhante". E a Bahia continua, ainda hoje, dessemelhante, elegendo indivíduos mais voltados a resolver questões de interesse próprio do que ter o olhar para a sociedade nossa, lutando, como deveria ser obrigação, pelos nossos direitos centenários, como primeira terra descoberta e com uma história incansável de lutas em prol da democracia, da liberdade social.

É triste ver o gestor estadual tem interesse maior no que determina o partido do qual é agente em detrimento dos interesses da Bahia. Triste Bahia. Triste, também, é saber que políticos de todas as matizes estão calados, instituições poderosas, caladas, a grande mídia, calada, as universidades, enfim a grande sociedade calada, enquanto se comete mais um crime contra a nossa Bahia.

Triste também é saber que todos estão apenas com os olhos de interesses voltados para a conclusão da arena (todos vão guerrear em lugar de praticar esportes) Fonte Nova, que por sua vez, vai "suprir" nossas carências tão visíveis e fazer do administrados das nossas políticas públicas, "um grande administrador"!

É, é mesmo triste ver que tudo é considerado simples, bobagens para a grande maioria, com as mentes embaçadas pelas suas próprias dificuldades que nada conseguem fazer.

Bem, no mais é desejar que  2013 seja melhor para todos. Que se repense a nossa realidade. Que as utopias continuem fazendo parte de nossas vidas, que o novo futuro prefeito transforme ainda mais nossa Feira de Santana, para melhor, e que a Bahia deixe de ser, por conta desse baixo clero da política, um constante estado de mentiras.



Publicado em: 23/12/2012 - 21:12:42 Comentário

QUE SEJA SEMPRE NATAL



Que todos os homens, mulheres, crianças, idosos, todos os de boa-vontade abram portas e janelas de suas casas e deixem nelas entrar o Espírito de Natal para que sejam os regentes da sinfonia do amor e da paz nos corações de todas as gentes.

Que os senhores do mundo façam com que o respeito à soberania de cada povo seja uma verdade para que na terra do nascimento de Jesus Cristo se estabeleça a harmonia para que à luz da sabedoria, todos se irmanem.

Que os homens ávidos por dinheiro e poder lembrem-se de que a vida terrena é só uma breve passagem e que para o corpo humano nada é definitivo e que em milésimos de segundo tudo acaba.

Que todos aqueles que amam de verdade, aos que sorriem, aos que procuram falar a língua dos anjos, que saibam que a vida toda, essa é a verdade possível de ser exercitada.

Aos que odeiam, que vilipendiam, aos que queimam corpos de outros homens, numa "brincadeira" macabra, aos que matam e depois gargalham, deixando famílias imersas na dor, aos que estupram, aos que roubam cínicamente os cofres públicos deixando milhares de criaturas sem leitos nos diversos hospitais do país, sem escolas públicas  de qualidade para que nossos jovens sejam devidamente educados para serem  cidadãos, sem transporte, tudo de qualidade; a esses, nem o Espírito de Natal aliviará as penas.

Somos hoje, sete bilhões de pessoas no planeta Terra, casa de todos e, mesmo assim, estamos diuturnamente querendo  destruir nossa casa, o nosso planeta que nos dá pão e água e ainda outras maravilhas gratuitas que o homem vende à revelia da própria natureza e nós, como monstros, não sabemos cultivar.

Precisamos, então, chamar para o nosso cotidiano o Espírito do Natal para que as pessoas não sejam boas durante apenas vinte e quatro ou quarenta e oito horas, presenteando familiares e amigos, colaborando para o fortalecimento do comércio e de uma sociedade cada vez mais voltada para tornar o dinheiro a coisa mais preciosa para o homem, enquanto de paz interior e de felicidade ele nada entende.

O bom mesmo é que tenhamos o Natal de todo dia para que o homem se transforme em instrumento da paz, que sempre se faça o ser do bem, tratando o próximo com respeito, dignidade e, assim, amando-o como a si mesmo, em um processo  fraterno, construindo em cada seu ambiente a festa de amor à vida, do principio ao fim de todos os momentos, sendo responsável por tudo aquilo que cultiva. Assim seja o nosso Natal, sempre.

Que os homens celebrem o ano novo de 2013 com o desejo de que a pacificação social seja o presente maior para todos.



Publicado em: 19/12/2012 - 12:12:03 Comentário

Canto de Natal



O nosso menino

Nasceu em Belém.

Nasceu tão-somente

Para querer bem.


Nasceu sobre as palhas

O nosso menino.

Mas a mãe sabia

Que ele era divino.


Vem para sofrer

A morte na cruz,

O nosso menino.

Seu nome é Jesus.


Por nós ele aceita

O humano destino:

Louvemos a glória

De Jesus menino.


A poesia acima foi extraída da "Antologia Poética - Manuel Bandeira", Editora Nova Fronteira - Rio de Janeiro, 2001, pág. 137.



Publicado em: 13/10/2012 - 13:10:24 Comentário

Eleições 2012: A razão é clara



Como já era esperado pelos feirenses o novo prefeito eleito com 66,04% dos votos válidos é José Ronaldo de Carvalho que pela terceira vez e em primeiro turno chegará ao comando de nosso município.

Homem de larga experiência politica, seja no âmbito do Poder Legislativo como vereador,deputado estadual e federal, ex-candidato ao Senado da República com uma votação expressiva de mais de um milhão de votos, ou seja, no Poder Executivo tendo governado Feira de Santana por dois mandatos e retornará ao Paço Municipal no dia primeiro de janeiro de 2013.

O prefeito eleito José Ronaldo de Carvalho é um político de 61 anos de idade com um carisma próprio dos grandes líderes e passeia com facilidade nos diferentes meios sociais.

A sua eleição tem uma razão bastante clara: a competência técnica indiscutível e aceita muito bem pela população feirense. O candidato do Partido dos Trabalhadores, deputado estadual José Neto tentou de tudo para conseguir superar o candidato do Democratas, trazendo para o seu palanque eletrônico o ex-presidente Lula e a presidente Dilma, trouxe também o governador do

Estado, Jaques Wagner - o que não cumpre as promessas de campanha-, mas mesmo assim foi derrotado por razões claras:os escândalos nacionais de seu partido, e o seu esquecimento de que professores, policiais,funcionários da saúde são pessoas, eleitores que tem esposas, esposos, filhos, parentes que votam e decidem.

Entretanto, mesmo derrotado nas eleições deste ano, o deputado José Neto tem futuro político e em outros embates eleitorais poderá chegar à prefeituras de Feira de Santana.

O jovem professor Jonathan-50, o rasta, como é chamado apareceu como arma letal tirando votos dos candidatos José Neto e Tarcisio Pimenta. Com um discurso diferenciado o professor  mostrou que se pode fazer política de uma maneira mais respeitosa para com os eleitores,mostrando propostas  possiveis de serem concretizadas, voltadas mais para a realidade dos cidadãos do que com a megalomonia de alguns.

O professor Jonathan poderá tornar-se uma nova liderança política em Feira, bastando para isto aproveitar-se dos milhares de votos obtidos  como candidato do PSOL e dar continuidade a um trabalho de base constante para que  possa solidificar uma liderança politica local.

No caso do atual prefeito e candidato derrotado à re-eleição, Tarcisio Pimenta, PDT, o que aconteceu com ele foi a demonstração da população feirense de insatisfação com uma administração pífia, o que ficou demonstrado na quantidade inacreditável de votos obtidos para um homem com a máquina administrativa nas mãos e que comprovadamente, não soube usufruir disso, mesmo tendo um candidato fortíssimo no seu calcanhar,o prefeito eleito José Ronaldo e tendo menor número de votos do que o candidato do PSOL, o estreante professor Jonathan, o que para um político experiente deve ser vergonhoso.

A população eleitora de Feira de Santana julgou o governo Pimenta e encontrou a razão clara para não dar-lhe uma nova chance: a inapetência administrativa.

A política é cruel para muitos. Principalmente para quem imagina que já pode navegar sozinho e sem apoio o barco afunda. Isto é o óbvio-ululante, como dizia o nosso Nelson Rodrigues.



Publicado em: 26/09/2012 - 20:09:10 Comentário

ATENTOS



Cada um com a sua ideologia defende os seus considerados melhores interesses.

Acredito que a cada ano eleitoral,particularmente o de eleições municipais, as pessoas devem avaliar criteriosamente todo um processo histórico em que estão envolvidos candidatos a prefeito e a vereadores.

Não podemos titularizar apenas a eleição de prefeito por conta de "encantos" com um determinado candidato, pois isto se caracteriza como erro gravíssimo,pois é preciso saber que todos temos responsabilidades no processo eleitoral e se não nos preocuparmos com os indivíduos que irão preencher as cadeiras da Câmara Municipal,estaremos entregando a qualquer um que se eleger prefeito um legislativo chulo, fraco demais ou absolutista, dominado completamente pelo gestor municipal das políticas públicas,deixando sem sentido o Poder Legislativo Municipal como já ocorre em praticamente todo o pais.

Assim sendo, as pessoas eleitoras não devem cometer o erro de possibilitar o absolutismo municipal considerando que com maioria absoluta na Câmara o Prefeito eleito exercitará, não a verdadeira democracia,mas um poder tão grande que se aproximará do que chamamos de totalitarismo, tal será a sua força no Municipio.

Importante para a população da cidade é que o exercicio da democracia passe pela escolha dos diferentes para o preenchimento das vagas no Legislativo Municipal, para que, das diferenças surjam discussões sérias e voltadas para o bem-estar da coletividade, assim como da necessidade de se firmar acordos entre as várias partes da Casa para aprovação de projetos de cunho social que beneficiarão a todos.

Importante, ainda, é o eleitor buscar eleger os candidatos que tenham comprovada competência política para o desempenho das funções no Executivo, como Prefeito, e no Legislativo, como vereadores.

No caso destes, eleitos para a Câmara Municipal, que fiquem na Casa da Cidadania pelo tempo de quatro anos, que é o tempo do mandato previsto na Constituição Federal, deixando os cargos administrativos do executivo para os profissionais de comprovada competência técnica.

Isso deve ser cobrado pela população, pois se assim não for,tudo será como antes, como está ou pior ainda.

Que os eleitores municipais estejam bem conscientes do que farão no dia 7 de outubro. Que este dia seja um dia de efetivo exercicio de cidadania, sem que se deixem levar por promessas milagrosas que como temos visto pela televisão, fará de Feira de Santana, em apenas quatro anos, uma cidade igual, ou melhor, à muitas cidades das regiões sudeste e sul.

O que na verdade é o desejo de todos nós, feirenses ou não, se a democracia for exercitada como governo do povo, pelo povo e para o povo como verdadeiramente deve ser.





Página 1 de 10





Programa Jornal do Povo


Warning: include(0.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in /home/jornal/public_html/antigo-site/publicidade_lateral_blog.php on line 24

Warning: include(0.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in /home/jornal/public_html/antigo-site/publicidade_lateral_blog.php on line 24

Warning: include() [function.include]: Failed opening '0.php' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/jornal/public_html/antigo-site/publicidade_lateral_blog.php on line 24


Programa Jornal do Povo


Fale Conosco

rodape

By Feira de IdeiasCopyright © Programa Jornal da Povo - Todos os direitos reservados.

Rua Juventino Pitombo 365 - Sobradinho - Feira de Santana - Bahia - CEP 44149-999
Telefones - (75) 3614.3727 - (75) 8140.4139 - (75) 9966.2504