Carlos Lima
Hoje dia 24/10/2018 às 03:08:59

Cinema
Carlos Lima | Publicado em 23/12/2017 às 13:41:31

Cleópatra de Denis Villeneuve terá bastante sexo, palavrões e assassinatos

Cleópatra de Denis Villeneuve terá bastante sexo, palavrões e assassinatos Ousadia, alegria, morte e suspense na corte da imperatriz egípcia.

Esqueça o estilo luxuoso normalmente associado aos filmes de época que retratam alguma corte real, seja na Inglaterra de The Crown ou na França de Maria Antonieta. Em Cleópatra, projeto de Denis Villeneuve (Blade Runner 2049), um dos diretores mais requisitados de Hollywood, a banda vai tocar de maneira diferente: em entrevista ao The Hollywood Reporter, o roteirista David Scarpa (Todo o Dinheiro do Mundo) declarou que o longa será um suspense político repleto de sexo, palavrões e assassinatos:

“É similar a Todo o Dinheiro do Mundo em termos da quantidade de pesquisa envolvida e em relação à pergunta: o que você deseja fazer de novo a partir de tudo isso e como é possível fazer algo novo? Com Getty, parte da ideia era pegar dois gêneros que conhecíamos, o dos filmes de sequestro e o dos ‘grandes homens’, como Cidadão Kane, e misturar os dois para fazer surgir algo novo. Com Cleópatra… Ao invés de fazer um drama de época luxuoso de três horas de duração, cheio de pompa, pessoas com abanadores, sotaques ingleses e tudo o mais, nós resolvemos tratar o filme como um suspense político. Sujo, sangrento, repleto de pessoas xingando e fazendo sexo e tudo o mais. Duas horas de duração, um suspense político curto e grosso, cheio de assassinatos, etc. Nós decidimos seguir a direção oposta da que pensamos que um filme como esse seguiria”, contou o escritor.

Isso quer dizer que o primeiro trabalho histórico do realizador canadense será a perfeita contradição do filme original de 1963. Comandado por Joseph L. Mankiewicz (A Malvada), clássico diretor da Era de Ouro de Hollywood, Cleópatra é um drama coestrelado por Elizabeth Taylor, Richard Burton e Rex Harrison – todos ingleses, vale ressaltar – que analisa os triunfos e as tragédias experimentadas pela rainha. E por mais que Villeneuve seja um dos cineastas mais versáteis do momento, transitando facilmente entre o suspense criminal (Sicário) e a ficção científica (A Chegada), um drama histórico poderia não ser a melhor escolha potencial para suas habilidades.

Como o diretor canadense ainda precisa filmar o reboot de Duna, Cleópatra ainda vai demorar para chegar às telonas – no momento, também é necessário encontrar uma protagonista; Angelina Jolie, a atriz escalada originalmente para o papel, não está confirmada na nova iteração do projeto. No entanto, por mais que a data de estreia não esteja marcada, a contagem regressiva para o mais novo suspense político do pedaço definitivamente já começou – ainda mais se Villeneuve trouxer seu colaborador de longa data, o fotógrafo Roger Deakins (Ave, César!), para o set de filmagens.

Renato Furtado

Comentários

comentários

Veja também