Carlos Lima
Hoje dia 16/11/2018 às 23:58:53

Cinema
Carlos Lima | Publicado em 17/10/2018 às 10:49:55

Kirill Serebrennikov começa a ser julgado na Rússia

Kirill Serebrennikov começa a ser julgado na Rússia Foto: Alexander NEMENOV / AFP

Em prisão domiciliar desde agosto de 2017, cineasta russo diz que acusação é um ‘absurdo’.

O julgamento do cineasta russo Kirill Serebrennikov começa nesta quarta-feira em Moscou, mais de um ano depois da ordem para sua prisão domiciliar, após uma acusação de desvio de recursos em um caso que o diretor chamou de “absurdo”.

Kirill Serebrennikov é acusado de ter desviado 133 milhões de rublos (1,7 milhão de euros) de subvenções públicas destinadas a seu teatro em Moscou, em função de um sistema de orçamentos e contas superfaturadas entre 2011 e 2014.

Em julho, quando o período de prisão domiciliar foi prorrogado, o diretor de 49 anos disse que apenas uma palavra, “absurdo”, poderia resumir o caso.

Ele disse que o dinheiro em questão foi usado na criação de obras.

O julgamento, que acontecerá a portas fechadas no tribunal Meshchansky de Moscou, permitirá às duas partes a apresentação de argumentos e o agendamento das próximas audiências.

Kirill Serebrennikov foi detido em 21 de agosto de 2017 e colocado em prisão domiciliar quando filmava um longa-metragem em São Petersburgo.

Quatro meses depois, a justiça russa ordenou o embargo de seus bens e ativos, principalmente seu apartamento e seu automóvel. Vários colaboradores do cineasta também foram investigados.

Para os defensores, Kirill Serebrennikov paga o preço do auge do conservadorismo na Rússia, onde os artistas enfrentam uma pressão cada vez maior.

Sem fazer oposição direta ao presidente russo, Vladimir Putin, Serebrennikov criticou em várias ocasiões as pressões, ao mesmo tempo que suas obras  que abordam temas como a política, a religião e a sexualidade.

são criticadas por militantes ortodoxos e pelas autoridades.

A detenção impediu que Kirill Serebrennikov viajasse em maio ao Festival de Cannes, onde seu filme “Leto” foi exibido na mostra oficial.
Também não acompanhou em dezembro de 2017 a estreia do balé “Nureyev”, dedicado ao bailarino soviético que pediu asilo no Ocidente, montado no teatro Bolshoi de Moscou.

O espetáculo também provocou polêmica e teve a estreia adiada em seis meses.

Em 2012, Kirill Serebrennikov foi nomeado diretor do Centro Gogol, que transformou em um dos locais mais importantes da cultura contemporânea de Moscou.

France Presse

Comentários

comentários

Veja também