Carlos Lima
Hoje dia 25/08/2019 às 07:23:40

Cinema
Carlos Lima | Publicado em 24/04/2019 às 11:35:28

Oscar muda nome de premiação de Filme de Língua Estrangeira.

Oscar muda nome de premiação de Filme de Língua Estrangeira. Oscar — Foto: Matt Sayles/Invision/AP

A Academia de Hollywood anunciou nesta quarta-feira (24) algumas mudanças no Oscar, como no nome da categoria de melhor Filme de Língua Estrangeira para Filme Internacional, segundo os co-presidentes do Comitê de Filmes Internacionais, Larry Karaszewski e Diane Weyermann em nota oficial.

“Notamos que a referência a ‘estrangeiro’ ficou ultrapassada na comunidade cinematográfica global”, disseram os co-presidentes.

“Acreditamos que Filme Internacional representa melhor essa categoria e promove uma visão mais positiva e inclusiva”, acrescentaram.

Apesar da mudança no nome, os critérios desta categoria não mudarão.

“Um filme internacional se define como um longa-metragem produzido fora dos Estados Unidos com um diálogo predominantemente não-inglês. Só será aceito um filme de cada país na seleção oficial”, lembrou a Academia.

A instituição também revelou que os semifinalistas nesta categoria passarão a ser dez longas-metragens, ao invés dos nove que concorriam até agora.

Nos últimos anos, o Oscar elegia em dezembro nove filmes semifinalistas. Em janeiro, era divulgada a lista de indicados (cinco) ao prêmio.

“Roma”, do mexicano Alfonso Cuarón, levou a estatueta em 2018 em uma categoria que no ano anterior tinha premiado outro filme latino, “Uma Mulher Fantástica”, do diretor chileno Sebastián Lelio.

A Academia também ampliou hoje para cinco o número de indicados para a estatueta de melhor maquiagem e cabelo (antes eram três).

Por outro lado, a instituição manteve os requerimentos gerais para que um filme possa ser considerado apto a concorrer ao Oscar, o que a princípio não limitará a presença de filmes de plataformas de “streaming”, como Netflix, desde que sejam exibidos nas telonas.

Assim, a norma estabelece que os filmes deverão ficar em cartaz no mínimo durante sete dias em uma sala de cinema do condado de Los Angeles (EUA), com pelo menos três sessões não gratuitas por dia. No entanto, os filmes podem ser lançados em plataformas de streaming, como a Netflix ou Amazon, no mesmo dia.

“Nós apoiamos a experiência da sala de cinema como uma parte da nossa arte e isso pesou muito em nossas discussões”, disse o presidente da Academia, John Bailey, sobre um tema gerou polêmica em Hollywood.

“Nossas regras exigem a exibição no cinema e também permitem que uma ampla seleção de filmes seja apresentada ao Oscar. Pretendemos estudar as profundas mudanças que estão ocorrendo em nossa indústria e seguir com as discussões sobre esses temas”, acrescentou Bailey.

Agência EFE

Comentários

comentários

Veja também