Carlos Lima
Hoje dia 19/07/2018 às 05:20:49

Cultura
Carlos Lima | Publicado em 05/02/2018 às 17:15:28

Política no Brasil. É preciso mudar o foco.

Política no Brasil. É preciso mudar o foco. TORNAR MAIS DIFÍCIL A OPÇÃO PELA CORRUPÇÃO

Mais importante do que colocar os corruptos na cadeia é tornar mais difícil a escolha pela corrupção.

É certo que no Brasil, país latino e de “sangue quente”, política assim como futebol, são temas que produzem bate-boca, e gritaria, pois são carregados de muita paixão e pouca racionalização.

Enquanto se discute acaloradamente se o político A ou B é honesto, as engrenagens que os permitem escolher a via da corrupção continuam existindo com algumas poucas mudanças que não impedem a máquina corrupta de ostentar o brilho tentador da impunidade.

As leis “anticorrupção”, são muitas em nosso país, mas ainda com eficácia duvidosa e isso precisa ser discutido e modificado. Parlamentares investigados ou suspeitos de corrupção poderiam continuar exercendo seus mandatos?

É verdade que vereadores, deputados estaduais e deputados federais, exigem que seus assessores contratados entreguem a maior parte do salário que recebem pela função aos seus assessorados (políticos)?

Como as denúncias desse tipo de conduta estão sendo investigadas, e mais importante ainda, o que está sendo feito no âmbito das câmaras de vereadores, das assembleias legislativas e do congresso nacional para combater essa prática nefasta?

É justo que políticos e membros do judiciário tenham tantas regalias e privilégios? Assim como a reforma trabalhista e previdenciária, as reformas política, tributária (impostos e taxas) e judiciária, são importantes.

É lícito que grandes operadores de poderosos grupos econômicos, mantenham lobistas no congresso nacional para influenciar os membros das casas legislativas a votarem matérias de interesse próprio, muitas vezes em detrimento dos interesses da maioria da sociedade brasileira?

São muitos os temas práticos que precisam ser debatidos pela sociedade.

Talvez nós, o povo, não tenhamos ainda percebido que as redes sociais são um verdadeiro instrumento de pressão que pode mudar completamente o modo de fazer política no Brasil e consequentemente fazer valer a nossa vontade.

Precisamos parar de brigar uns com os outros, como se estivéssemos assistindo a uma partida de futebol, torcendo por times opostos.

As atividades parlamentares são divulgadas nas respectivas páginas das casas legislativas. Vamos pesquisar por lá e ver o que fazem os nossos representantes.

Não é mais necessário depender dos grandes veículos de comunicação, apesar de que devemos estar vigilantes para que os nossos “legisladores” mantenham o acesso a “internet” cada vez mais democrático, até que seja universal e gratuito para todos, como é a TV aberta hoje em dia.

É grande a variedade de “páginas” presentes na internet que ensinam política e muitas delas sem o viés ideológico que suscita grandes paixões populares e tem o potencial para empobrecer a discussão desviando o tema para questões menos práticas.

Vamos em busca do conhecimento necessário, já que nossos representantes não estão fazendo o que prometeram em termos de melhoria da educação e da transparência pública.

Não votaremos em quem não cumpriu o que prometeu e não se explicou satisfatoriamente, não votaremos em quem manchou nosso voto com atos de corrupção notória e não vamos votar em quem está sob investigação ou suspeição, pois esses, tem de fazer por merecer novamente a nossa confiança.

Não vamos votar em promessas, não vamos votar em pessoas, vamos votar em “planos de governo”, vamos votar em “planos de mandato”.

Vamos contribuir com a construção dos planos sugerindo a inclusão de temas que forem relevantes para nossa comunidade.

Vamos exigir que esses planos de governo e de mandato sejam publicados na internet, e vamos acompanhar sua execução durante todo o mandato, observando e apontando, para os que forem eleitos, todos os desvios, exigindo justificativas e explicações.

Os mandatos não são das pessoas que os exercem, são do povo que os outorgam, portanto é obrigatória a prestação diária de contas, para isso talvez os políticos devessem se inspirar no Big Brother Brasil, apresentado pela rede globo de televisão, e mandar instalar em seus gabinetes, câmeras ligadas a internet, 24h.

Quem não deve, não teme.

Flávio Lima

Comentários

comentários

Veja também