Tigre-da-tasmânia regressa da extinção?

© AFP 2019 / Torsten Blackwood

Acredita-se que o tigre-da-tasmânia entrou em extinção há mais de 80 anos. A última aparição data de 1936. No entanto, de acordo com um recém-publicado documento estatal australiano, este misterioso carnívoro pode ainda estar vivo.

Trata-se de um documento do Departamento de Indústrias Primárias, Parques, Água e Ambiente da Tasmânia (DPIPWE, na sigla em inglês).

O documento consiste em oito advertências recebidas de diferentes pessoas que acreditam ter visto um tigre-da-tasmânia, com casos de aparição de setembro de 2016 a setembro de 2019. O documento apresenta as datas, locais e duração de todas as eventuais aparições.

Algo entre gato, raposa e pastor alemão

De acordo com o documento, o caso mais recente ocorreu em 15 de agosto, na região de Midlands, no estado australiano da Tasmânia.

Tigre-da-tasmânia, declarado extinto em 1936, no museu de Austrália, Sydney
© AFP 2019 / TORSTEN BLACKWOOD // Tigre-da-tasmânia, declarado extinto em 1936, no museu de Austrália, Sydney

Outro espécime foi avistado em fevereiro do ano passado. Dois turistas da Austrália Ocidental relataram ter visto a criatura em uma estrada. Os indivíduos, cujos nomes foram ocultados no documento, pararam o carro e passaram de 12 a 15 segundos observando o animal selvagem.

Eles notaram que ela tinha uma cauda rígida e listras nas costas e era “maior que uma raposa, e menor que um pastor alemão”. O relatório diz que “Ambos têm certeza absoluta de que era um tigre-da-tasmânia”.

No mesmo mês de fevereiro, ciclistas estavam andando por uma estrada, quando de repente notaram um animal peculiar com pelo marrom escuro e listras pretas nas costas, que pelo seu comportamento e sua maneira de andar lembrava-lhes um gato ou uma grande raposa.

No entanto, um porta-voz do DPIPWE disse em comunicado que a agência ainda considera o tigre-da-tasmânia extinto, segundo a rede australiana ABC.

 Dois tigres-da-tasmânia, macho e fêmea, no Zoo Nacional em Washington, 1902
© FOTO / PUBLIC DOMAIN / BAKER; E.J. KELLER // Dois tigres-da-tasmânia, macho e fêmea, no Zoo Nacional em Washington, 1902

O funcionário observou que o DPIPWE frequentemente recebe informações sobre supostos avistamentos deste carnívoro, mas na prática não pode ser considerada uma prova válida de sua existência.

Sputnik

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS