Carlos Lima
Hoje dia 08/12/2019 às 03:29:57

Sergio Jones
Sérgio Jones | Publicado em 03/12/2019 às 09:19:18

Impunidade praticada em favor de poucos é comemorada pelo legislativo feirense/Por Sérgio Jones *

Impunidade praticada em favor de poucos é comemorada pelo legislativo feirense/Por Sérgio Jones *

É lamentável a postura adotada pelos políticos brasileiros, em especial os feirenses, que se irmanam com todo tipo de falcatrua e irregularidades cometidas por eles, contra os interesses do cidadão.

Dentre as muitas aberrações jurídicas e escândalos, como sempre, prevalece o vale tudo na busca e na tentativa de se manterem incrustados no poder.

Exemplo recente foi o ato por parte dos “senhores” edis que comemoraram de forma espalhafatosa durante sessão ordinária realizada na segunda-feira (2), na Câmara Municipal de Feira de Santana. Onde o grande ato comemorativo teve como motivação maior o fato do TRE, ter julgado improcedente a cassação do mandato do deputado Targino Machado (DEM).

Houve todo tipo de discursos patéticos um dos oradores chegou a afirmar de forma irresponsável de que “ deus protege os guerreiros”. Não sabemos a que tipo de deus estes representante das treva se referiu, Com certeza não é ao Deus que os segmentos religiosos sérios postulam.

O curioso de toda esta pantomima jurídica é que o resultado foi aplaudido de pé pelos nobres edis, alguns, é bom lembrar, como é do conhecimento geral, respondem processos que nunca vão a julgamento o que faz com que os processados se encontrem na condição sub judice.

O que significa dizer que nesta condição (sub judice) não foram ainda julgados. Enquanto isso não acontece não são considerados culpados ou inocentes. Mas esta realidade, para ser justo, não ocorre somente com os “briosos” membros da “Casa da Cidadania”. Não podemos esquecer que no executivo a realidade é a mesma. Encontram-se nesta situação vários secretários e até mesmo o prefeito.

Em todas essas demonstrações de impunidade praticada em favor de poucos privilegiados. O que podemos perceber é que todos, sem exceção, se dizem e se consideram inocentes e injustiçados.

Enquanto permanecer o modelo político vai prevalecer neste filme de mocinhos e bandidos, que estes últimos serão sempre os eternos vencedores. Prevalece o mal maior, a impunidade, que surfa na onda da ineficiência do sistema que com o passar dos dias, cada vez mais estimula a delinquência, os vícios e a corrupção que se alastram irremediavelmente pelos amplos e confortáveis corredores dos podres poderes.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Comentários

comentários

Veja também