Carlos Lima
Hoje dia 05/04/2020 às 19:44:26

Feira de Santana
Carlos Lima | Publicado em 10/03/2020 às 14:28:35

Isaías de Diogo quer despachar com o prefeito. Despachar o quê? /por Carlos Lima

Será cartão alimentação?

Isaías de Diogo quer despachar com o prefeito. Despachar o quê? /por Carlos Lima Vereador Isaias de Diogo

A clarividência do comportamento oportunista desperta com intensidade em ano eleitoral,  o ato é praticado pelos membros do legislativo e pelo executivo.

O político sem equilíbrio emocional ou inteligência mediana fica mais exposto.

O executivo através de propostas irrealizáveis e defesa dos interesses dos poderosos que de alguma forma estarão contribuindo com o seu projeto de eleição ou reeleição.

Parte do legislativo pendurado na cueca do prefeito tenta se livrar dos pingos e emplacar seu nome e presença em algumas inaugurações ou beneplácito distribuído conforme a vontade política do gestor.

 Anteriormente ao ano eleitoral esse assédio era mais complacente, não despertavam o seu interesse para o coletivo, prevalecia o seu individual, para o próprio fortalecimento financeiro.

A gora o interesse é eleitoral, em parte. O vereador Isaías de Diogo fez um desabafo desesperado por não conseguir despachar com o prefeito a mais de 5 meses.

Encara tal fato como um prejuízo de prestígio diante dos seus pseudos eleitores. Está sentindo-se ameaçado.

Risível.

Na tribuna da casa denunciou: “Cinco meses e não consigo marcar audiência para que possa conversar e despachar com o prefeito. Se eu quiser conversar com o prefeito a qualquer momento eu posso conversar, mas despachar e levar pessoas para conversar com o prefeito é o líder do governo que agenda. Faz mais de 5 meses que não consigo despachar com o prefeito Colbert Martins da Silva. Quero saber o que está acontecendo!”

Pregunto: Despachar o quê?

Levar pessoas para falar com o prefeito é se omitir em atender  pedidos dos seus eleitores.

Levá-los para conversar com prefeito é transferência de responsabilidade jogando o pepino no colo do gestor.

No executivo vereador não despacha nada. Engana o povo.

A reeleição desse vereador é praticamente improvável, lançou mão de um cartucho que o ex-prefeito conhece muito bem, ameaça.

“Estou fora desse projeto, porque não quero morrer. Se vocês não tem oxigênio para sobreviver, vão morrer asfixiados. Só será pedestal para algumas pessoas subirem e vocês ficarem para trás, afirmou o edil.

O interesse de se dar bem é tão grande, que até o cartão alimentação tem uma história negativa no seu mandato, o caso envolve um assessor nomeado.

O líder do governo no legislativo feirense após o pronunciamento do inconformado Isaias de Diogo, mandou um recado:

 “Quero informar que não sou psiquiatra”.

Carlos Lima

Comentários

comentários

Veja também