Carlos Lima
Hoje dia 22/09/2018 às 01:30:25

Religião
Carlos Lima | Publicado em 11/12/2016 às 13:06:18

KIMBANDA – QUIMBANDA

KIMBANDA – QUIMBANDA A alma das coisas, quimbanda

A UMBANDA arte de curar e a QUIMBANDA quer dizer o curandeiro, mas existem muita coisa por trás dessa Kimbanda.

Vamos observar também as várias definições de QUIMBANDA ou KIMBANDA.

QUIMBANDA tem sua fonte de origem no QUIMBUNDO, que é uma mistura de dialetos africanos, criado pelo governo para ser ensinado nas escolas das colônias portuguesas, afim de que todos angolenses se entendessem entre si nas regiões tribais de angola e Moçambique.

QUIM ou KIM, quer dizer em linguagem africana, médico ou grão-sacerdote dos cultos BANTOS.

BANDA quer dizer LUGAR ou CIDADE.

Resumindo, chegamos à conclusão de que em nosso idioma, quimbandeiro quer dizer grão-sacerdote dos cultos bantos, vindos de angola, Moçambique e Benguela.

QUIMBANDA = curandeiro-adivinho, necromante, exorcista, mago, por extensão: médico, benzedeiro, todo aquele que busca a anunciação e interpretação dos fatos, através dos mais variados processos.

O QUIMBANDA trata as enfermidades diagnosticadas por adivinhação, debela os azares, restabelece a harmonia conjugal ou provoca a inimizade, concede poderes para o domínio do amor ou para a anulação de demandas.

Busca a cura, nas matas ou campos, cachoeiras, mares, enfim nos elementos da natureza, aonde vai a busca de plantas medicinais.

Colaboração de: Maria de Omolú

O QUE É KIMBANDA?

A Quimbanda ou Kimbanda não é simplesmente mais uma das linhas existentes dentro dos cultos afro-brasileiros, suas influências não são somente Bantu, Nagô e Yorubá, também abrangem em larga escala vários aspectos da Religião Indígena, Católica,  o Espiritismo moderno, a alquimia, o estudo da natureza fundamental da realidade e Correntes Orientais.

É importante lembrar que o sincretismo entre Exú e o Diabo existe, salvaguardando várias confusões ao verificar que atualmente muitas pessoas pensam que a Quimbanda é um culto satânico ou Magia Negra, tendo aquele sentimento de dualidade aonde as pessoas veem o bem e o mal em uma luta eterna confundindo a figura do Diabo com tudo de ruim sem lembrar que Ele já teve seu martírio e foi vencido por Deus que é Quem determina o espectro e a liberdade de suas ações desde o princípio dos tempos…

ONDE ENCONTRAR A KIMBANDA?

Você já procurou um CENTRO DE QUIMBANDA, escrito na fachada “quimbanda” ou “Kimbanda”, você sabe onde fica a FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE KIMBANDA? (Certamente um centro sério registrado: Não existe).

Certamente não vai encontrar, porque a quimbanda é uma ramificação da umbanda, a quimbanda não existe fisicamente, ela é uma entidade astral, quartel general dos exús, das falanges, dos exércitos, da infantaria, que desce nos planos mais baixos e inferiores, para enfrentar os espíritos trevosos e buscar espíritos que queiram se redimir e voltar para o ciclo evolutivo.

A Kimbanda é usada como símbolo do mal por pessoas más, por seres quer encarnados ou desencarnados, que deturpam o uso da terminologia por culpa dos próprios donos de terreiros (babalorixás), que não se interessam pelo lado esotérico.

Por despreparo, lidam com Kiumbas que se dizem Exús, e neste caso a ideia no plano físico passa erroneamente.

Kiumbas são espíritos desencarnados, trevosos, com má índole. Mas também existem “kiumbas” encarnados, que são os que fazem a MAGIA NEGRA, que procuram por essas forças, que se deixam levar por elas, que querem explorar os outros, ter vantagens materiais. Esses dão asas ao velho mito de Mefistófeles e Fausto de Goethe: Vendem a alma ao demônio.

A FUNÇÃO DA KIMBANDA:

Tida como sinônimo de magia negra ou de baixo espiritismo, a Kimbanda é, no seu sentido mais básico, tão somente a contraparte da Lei de Umbanda, ou as aplicações da Lei ao Mundo da Forma.

A palavra Kimbanda se traduz segundo a Lei do Verbos como o Conjunto oposto da Lei. De fato a Kimbanda exerce um papel contrário a Umbanda, embora no sentido de equilíbrio, uma vez que o Universo e suas Leis se baseiam na harmonia dos opostos.

Se existem Sete Planos ou vibrações na Umbanda, a Kimbanda é composta de Sete planos opostos, sendo a união destes dois planos o que torna a frase esotérica “o que está em baixo é semelhante ao que está em cima” com seu sentido pleno.

Tal Lei é representada da seguinte forma:

O triângulo com o vértice apontando para cima.

O triângulo com o vértice apontando para baixo.

O que está em cima – a Luz que parte do ponto para a abrangência de cima para baixo. A oração aos senhores da Luz, em analogia com as duas mãos unidas para cima; (em verdade, o ato reproduz a geometria cósmica) o Karma ativo. Este sinal relaciona-se a Umbanda.

O que está embaixo – as ordens de cima ou a Lei em execução; a bênção das hierarquias superiores ao indivíduo, ou a súplica do indivíduo aos seres superiores; o Karma Passivo; as duas mãos unidas para baixo, em oração aos senhores da Forma; Este sinal relaciona-se a Kimbanda.

Os dois sobrepostos, reunidos formando um HEXAGRAMA simbolizam a harmonia entre os OPOSTOS.

O resgate e a ascensão de todas as almas rumo a espiritualidade. Pois em verdade aquele que se encontra em grau mais alto possui um correspondente em grau mais baixo. Esta simbologia refere-se ainda, a não astaticidade da evolução, pois não existem dores e tampouco infernos eternos, uma vez que. se a evolução é infinita, aquele que se situa no ponto mais alto, ao evoluir, leva consigo todo o sistema. sendo que o que está no grau mais baixo, por sintonia. também subirá.

Mas como surgiu a Kimbanda?

Após a descida do Ser Espiritual ao Universo Astral, vários desses espíritos tomaram-se marginais cósmicos, pois traziam dentro de si a revolta. a insubmissão e o ódio. Por afinidade. estes seres foram atraídos às zonas internas de planetas semelhantes a Terra em seus locus subcrostais (umbral), habitando a contraparte astral destes ambientes é lógico.

Bem estes ditos como “Marginais Cósmicos” não podiam ficar por aí a vagar dentro de um círculo pernicioso tanto a suas consciências quanto a de outros seres. Estes tinham de ser trazidos de volta à Luz e ao caminho da paz e da harmonia. sendo que tal condição deveria ser alcançada por eles através de seus próprios atos, direcionando-os a aprender por força das variações do Karma a conquistar esta harmonia, primeiro interiormente e depois exteriormente com as “forças Cósmicas”.

OS EXÚS:

“Muitos anos de incompreensão religiosa, aliados a um sincretismo mal feito com a doutrina católica e um aprendizado incompleto dos novos Babalorixás (donos de terreiros), são os principais motivos para a deturpada visão que ainda hoje se tem do Exu. Mas bem diferente do diabo cristão, essa entidade do panteão africano tem fundamental importância, interligando e dinamizando os diversos planos em que se divide a Criação. Aliás toda pessoa tem seu Exu particular, responsável pela força necessária ao seu desenvolvimento.” – Afirma Ari Moraes em seu artigo  da Revista Candomblé e Umbanda. – Revista Planeta.

Em nosso sistema solar, os sete guardiões da Luz para as sombras, os Sete Exús Planetários se encarregaram de arrebanhar milhões de almas insubmissas e colocá-las na Roda das Reencarnações, para que estes adquirissem o equilíbrio há muito perdido. Muitos. após reencarnarem dezenas de vezes conseguiram recuperar o equilíbrio próprio. sendo que agora regenerados, foram chamados a trabalhar dentro da faixa vibratória afim aos Sete Guardiões da Luz para as Sombras, sendo esta a oportunidade que teriam para se reajustarem definitivamente com as Leis Universais.

Assim surgiram após se erguerem das noites escuras do erro, depois de passarem por uma completa reabilitação, aqueles que seriam chamados de Agentes da Justiça e da Disciplina Kármica – Exú de Umbanda. É por isso seu trabalho voltado ao terra-a- terra e as zonas subcrostais , onde combate e impede que entidades ainda presas às correntes do ódio e do rancor se infiltrem nos locais que não lhes dizem respeito.

Os Exús conhecem a mentalidade e o modo de agir destes seres, pois que muitos já foram magos negros. e agora trabalham na reabilitação destas outras almas ainda endividadas e endurecidas por séculos de embrutecimento espiritual.

Os Exús são espíritos ainda na fase de elementares, pois evoluem dentro doe determinadas funções kármicas e se agrupam, dentro da Kimbanda em Falanges, subfalanges, Grupos, Subgrupos e colunas, atuando na cobrança do Karma Coletivo Grupal e Karma Individual exercendo sua ação da Luz para sombras e das Sombras para as Trevas.

Nada acontece de cima para baixo de qualquer forma como se o Karma fosse algo sem rumo que se manifestasse espontaneamente. Existe direção e controle para tudo e quem o faz são os Exús de Umbanda que aplicam as Leis Superiores aos casos Kármicos Coletivos Grupais e Individuais, Exú de Umbanda não é pois. um Ser Espiritual trevoso, um agente do mal.

Pelo contrário é antes um agente da Justiça (amparador) e da magia celestes com responsabilidades definidas perante os tribunais Kármicos e executor fiel das Leis de Cima para Baixo.

Os Exús atuam mais nos serviços terra-a-terra e talvez seja por isso que a maior parte das pessoas ainda acreditem ser ele o “rei da barganha”, que faz o mal em troca de alguma coisa. A verdade não é bem essa.

Exú: trata é verdade dos problemas mais afeitos à matéria tais como demandas, trabalho, dinheiro, etc, mas um Exú jamais dará a alguém algo que este não mereça.

Sabemos de casos em que pessoas pediram o mal para outro em “trabalho” para Exú e disseram ter conseguido seu intento. Na realidade, quem faz os trabalhos de morte e aceita em troca por eles elementos onde existe o sangue e outros, não são os Exús, mas sim os Kiumbas, entidades que odeiam os Exús, por serem por eles policiadas e que não perdem a oportunidade de se fazerem passar por eles, usando-lhes os nomes de “guerra”, exatamente para “sujarem-lhes” a imagem.

MAGOS NEGROS:

Os Kiumbas são seres trevosos, desequilibrados, e são seres enviados de determinados Magos Negros que habitam as mais baixas covas do sub-mundo astral e se identificam também. com determinados nomes de “guerra”, tais como Maria Padilha (não, leitor amigo, esta não é pomba-gira, como muitos erroneamente acreditam). É uma maga-negra feroz, que destrói completamente a moral e o mediunismo dos aparelhos que utiliza.

Mestre Luis, Mestre Bem-te-vi, Zé Pilintra (este é outro mago negro que muitos acreditam ser Exú. Na verdade o primeiro “Zé-Pilintra”, dono de numerosa falange negra já foi desde algum tempo atrás capturado pelos Guardiões e está em prisões corretivas do astral inferior. Mas outros tomaram-lhe o “trono” e ainda utilizam seu nome), Mestre Pintassilgo e outros … muitos deles baixam nos “Reinados do Catimbó” e vez por outra mandam seus enviados acercarem os terreiros de Umbanda e de Candomblé que se utilizam de Matanças e que tenham uma moral duvidosa. Se acercam igualmente de todo e qualquer lugar onde possam encontrar uma brecha para agirem e mesmo nos centros de Kardec e em outros ambientes considerados “limpos”.

Alguns centros ditos Umbandistas, trabalham com a Magia Negra, diretamente com Kiumbas, seres que destroem os médiuns, em troca de algum favorecimento material o que causa graves doenças psicossomáticas, que podem custar ao espírito muitos séculos de recuperação. Os Kiumbas se manifestam dizendo-se EXÚ, usam o nome Kimbanda, como vingança, já que quando enfrentam o EXÚS sempre levam a pior.

Exército de Resgatadores:

Dissemos atrás que existem os Exús que atuam da Luz para as Sombras. Estes são os 49 chefes de Legião chamados também de “Cabeça-Grande”. Cada um deles comanda verdadeiros exércitos, que avança da Luz para as Sombras e das Sombras para as trevas.

Essa é uma parte da verdadeira ação da Kimbanda. (pesquisa do cljornal)

Comentários

comentários

Veja também