Carlos Lima
Hoje dia 13/12/2019 às 16:51:35

Ciências
Carlos Lima | Publicado em 14/11/2019 às 10:34:46

NASA pretende desenvolver ‘arraia’ para explorar Vênus

NASA pretende desenvolver ‘arraia’ para explorar Vênus NASA pretende desenvolver 'arraia' para explorar Vênus. Foto: © Foto/ Universidade de Buffalo

A agência espacial norte-americana aprovou o conceito de uma nave com a forma inspirada nas arraias, destinada a explorar o lado escuro de Vênus.

O Laboratório CRASH da Universidade de Búfalo desenvolveu o projeto, composto por uma estrutura transformável com asas que se movimentam como as barbatanas peitorais das arraias.

Essa forma pode facilitar a utilização dos fortes ventos nas camadas superiores da atmosfera do planeta, além de oferecer um controle sem precedentes do veículo, segundo o comunicado da universidade.

O projeto BREEZE é um dos 12 conceitos escolhidos pela NASA no quadro do programa Conceitos Inovadores Avançados, que financia as tecnologias que poderiam “mudar o que é possível no espaço”.

Planeta Vênus ao amanhecer

Planeta Vênus ao amanhecer. Foto: © NASA . CHRISTINA HAMMOCK KOCH

O BREEZE orbitaria o planeta a cada quatro ou seis dias e seus painéis solares seriam carregados a cada dois ou três dias na parte iluminada do planeta, para recolher amostras atmosféricas, rastrear padrões meteorológicos e monitorar a atividade vulcânica.

Suas asas seriam ativadas por um sistema interno de tensionamento que proporcionaria a capacidade de obter empuxo, controle, estabilidade, elevação adicional e a compressão mecânica para obter a sustentação.

Essas características são muito importantes nas condições adversas do planeta, com temperaturas na superfície em torno de 500 graus e nuvens espessas de ácido sulfúrico.

Vale destacar que a rotação de Vénus em torno do seu eixo demora 243 dias, ou seja, mais do que os 225 dias que o planeta demora a orbitar o Sol. Por outras palavras, um dia de Vénus dura mais do que o seu ano, o que faz com que grande parte do planeta permaneça um longo período na escuridão.

Sputnik

Comentários

comentários

Veja também