Carlos Lima
Hoje dia 24/07/2019 às 04:44:46

Ciências
Carlos Lima | Publicado em 28/06/2019 às 10:06:15

O que aprendi usando gel anticoncepcional masculino

O que aprendi usando gel anticoncepcional masculino JAMES OWERS E DIANA BARDSLEY - Image caption James Owers e Diana Bardsley são um dos 450 casais participantes de uma pesquisa sobre contraceptivo masculino

Um casal de Edimburgo, no Reino Unido, está entre as primeiras pessoas do mundo a usar um contraceptivo hormonal masculino.

James Owers, de 29 anos, e Diana Bardsley, de 27 anos, estão participando de um estudo da Universidade de Edimburgo, junto com outros 449 casais. Eles estão usando como método contraceptivo apenas um gel hormonal masculino, ao longo de 12 meses.

A expectativa é que casais em relacionamentos duradouros possam usar o gel como alternativa à pílula anticoncepcional feminina. De acordo com o coordenador do estudo, John Reynold-Wright, espera-se que o gel tenha uma eficiência entre 97% e 99% – equivalente à da pílula anticoncepcional feminina.

O gel, que deve ser aplicado no corpo, é uma mistura de progesterona e testosterona. A progesterona desliga a produção de esperma nos testículos. Mas também acaba provocando uma queda na testosterona – compensada pela adição de testosterona no gel.

“Juntos, os dois hormônios ajudam a desligar a parte do cérebro que ordena que os testículos produzam esperma. Mas, como há testosterona no gel, não há remoção de nenhum dos traços masculinos. E também não vai prejudicar a libido. Além disso, a progesterona não traz nenhum tipo de efeitos femininos”, explica Reynold-Wright.

Em entrevista a um programa de rádio da BBC, James explicou: “Eu espremo um pouco do gel de uma embalagem que parece com uma pasta de dente. Tem a consistência de álcool em gel”.

Depois, “eu esfrego o gel no meu ombro e na área peitoral. Seca em três a quatro segundos. Depois, eu faço isso no outro ombro. Em seguida, me visto e dou início ao meu dia normalmente.”

James está usando o gel desde fevereiro. Mas faz apenas uma semana que o gel é sua única forma de contracepção. “Um dos efeitos colaterais é um aumento no desejo sexual”, diz ele. Já os efeitos colaterais negativos têm sido mínimos.

“Não senti nenhuma mudança no meu humor. Eu fiquei com algumas pequenas manchas nas costas, mas já estão saindo. E ganhei cerca de um quilo – mas provavelmente foi por causa da cerveja, sendo bem honesto”.

‘Tirando o fardo das mulheres’

Para James, os benefícios de participar de um estudo como esse vão além da medicina. “O mais positivo para mim é que eu estou podendo participar de uma mudança no discurso sobre a contracepção. Os meus amigos e colegas no trabalho vem me perguntar sobre isso, perguntando quando vai estar disponível e várias outras coisas”.

“Eu estou me sentindo muito otimista que esse contraceptivo masculino – ou mesmo um outro contraceptivo masculino – ficará disponível em breve”.

Porém, isso ainda pode levar alguns anos, de acordo com Cheryl Fitzgerald, consultora em medicina reprodutiva na Universidade de Manchester.

“Esse teste está observando centenas de homem de perto para garantir que (o método) seja seguro, efetivo e bem tolerado (pelo corpo). Depois disso, nós vamos fazer um teste muito maior. Então, nós estamos certamente falando de mais de 10 anos”, explicou Fitzgerald.

Por hora, o experimento já está trazendo benefícios para a parceira de James, Diana. “Uma das coisas mais fantásticas para mim é que eu tomei anticoncepcional desde os 16 anos. E isso (o gel contraceptivo masculino) me permitiu fazer uma pauta por um ano”.

“Ao dar mais opções para os homens nós estamos tirando parte do fardo que recai sobre mulheres. Além de dar mais liberdade para os homens escolherem seu próprio método contraceptivo”.

BBC

Comentários

comentários

Veja também