Carlos Lima
Hoje dia 20/08/2018 às 10:18:09

Religião
Carlos Lima | Publicado em 07/02/2018 às 13:15:00

Papa celebra participação conjunta das Coreias em Olimpíadas

Papa celebra participação conjunta das Coreias em Olimpíadas "Esse fato nos faz acreditar em um mundo no qual os conflitos são resolvidos pacificamente", disse papa sobre participação de delegação da Coreia do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno

O papa Francisco celebrou nesta quarta-feira (7) a participação de uma delegação da Coreia do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, que serão disputados no vizinho do Sul a partir da próxima sexta-feira (9).

“A tradicional trégua olímpica tem, neste ano, uma importância especial. As delegações das duas Coreias desfilarão juntas, sob uma única bandeira e competirão como um único time. Esse fato nos faz acreditar em um mundo no qual os conflitos são resolvidos pacificamente, com diálogo e no respeito recíproco, como também o esporte nos ensina a fazer”, disse aos participantes da audiência geral na Sala Paolo VI.

Ele ainda celebrou que a competição “reunirá 92 países” e enviou saudações ao “Comitê Olímpico Internacional, aos atletas que participarão dos Jogos de Pyeongchang, às autoridades e ao povo da península da Coreia”.

“Todos acompanhem com orações, enquanto renovo o compromisso da Santa Sé em apoiar qualquer iniciativa útil a favor da paz e do encontro entre os povos. Que essas Olimpíadas sejam uma grande festa da amizade e do esporte. Que Deus vos abençoe e vos proteja”, disse ainda o líder católico.

Durante os últimos meses, com o acirramento da tensão na península coreana por conta dos testes balísticos de Pyongyang – e dos ataques verbais do presidente norte-americano, Donald Trump -, o Pontífice fez diversos apelos para o desarmamento nuclear no mundo.

Jorge Mario Bergoglio também deu aval para a organização de um evento sobre o tema, que reuniu diversos vencedores do Nobel da Paz, no Vaticano. Rumores na imprensa italiana, apesar de terem sido negados pelo porta-voz da Santa Sé, informaram que o sucessor de Bento XVI estaria tentando intermediar uma solução pacífica para a crise na região.

Ansa

Comentários

comentários

Veja também