Carlos Lima
Hoje dia 19/03/2019 às 16:40:46

Economia
Carlos Lima | Publicado em 27/02/2019 às 09:19:30

Brasil tem um governo de otários

Brasil tem um governo de otários

Na Folha, hoje, Nélson de Sá repercute o que já há alguns dias vem saindo na imprensa econômica internacional.

A China está a um passo de um acordo comercial – as estimativas variam em torno de US$ 30 bilhões por ano- com os Estados Unidos.

Suas exportações de manufaturados e importações de semimanufaturados ficariam livres ou aliviadas de sobretaxas.

O Financial Times, diz Nélson, diz que a compensação seria “a importação maior, por parte dos chineses, de produtos agropecuários como soja, carne bovina e aves”.

A compra de US$ 10 bilhões em soja já foi comemorada pelo Secretário de Agricultura de Trump, Sonny Perdue.

Mesmo que você não seja um Chicago Boy de Paulo Guedes deve saber quem vende soja para a China, não é?

Idem carne bovina e aves.

O título resume tudo: “China oferece comprar dos EUA o que hoje compra do Brasil”.

O mix de cegueira ideológica e estupidez geopolítica fizeram este governo (governo?) começar chacoalhando as relações com a China, nosso maior parceiro comercial  e fonte imensa dos capitais que eles dizem tanto querer atrair, para puxar saco, escandalosamente da administração Trump.

Claro que os idiotas vão ganhar uns jantares em churrascaria e um tablados, para nos exibir como aqueles latinos bonzinhos, que abanam a cabeça, o rabo, e se comprometem a ser fiéis aliados dos EUA nestas terras selvagens do Sul.

Mas business, mesmo, vão fazer com quem tem dinheiro e fome de compras.

Os chineses, com seus milênios de paciência e determinação, não fazem barulho, fazem negócios.

E os nossos ruralistas – que enriqueceram com a ação do Estado brasileiro – ocupação do cerrado, terras baratas, subsídios governamentais, isenções de impostos, tecnologia da Embrapa, investimento em rodovias e ferrovias – usam a cabeça para colocar chapéu de cowboy e sonhar com o dia em que possam andar com o coldre à mostra.

E vociferando contra quem lhes compra a produção.

Comentários

comentários

Veja também