Carlos Lima
Hoje dia 27/06/2019 às 11:14:52

Economia
Carlos Lima | Publicado em 03/06/2019 às 02:05:21

Discípulo de Olavo é preso por envolvimento em esquema milionário de corrupção

Discípulo de Olavo é preso por envolvimento em esquema milionário de corrupção

Um dos presos na operação Alcatraz, deflagrada pela Polícia Federal ontem, é um homem que se apresenta como bolsonarista e olavista e tem uma atuação ostensiva na rede social em defesa de uma tal “direita Santa Catarina”.

Ele é Fábio Lunardi Farias, gerente de tecnologia da informação e governança eletrônica da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca.

A juíza Janaína Cassol Machado, da 1ª Vara Federal de Florianópolis, decretou sua prisão temporária, por esta envolvido num esquema de emissão de notas frias para lavar dinheiro usado em pagamento de propina.

Pelo menos outras dez pessoas também tiveram a prisão decretada.

Segundo reportagem do jornal ND, de Santa Catarina, a organização criminosa envolvia agentes públicos como Lunardi, grupos empresarias e empresas fantasmas com influência de políticos.

Relata o jornal:

A investigação partiu de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, sobre o descompasso entre a receita bruta de uma empresa que seria de fachada e sua movimentação financeira.

O sócio principal da empresa fantasma foi chamado a prestar esclarecimentos e confessou que emitia notas frias “a fim de receber pagamento de órgãos públicos e depois de descontada sua parte, incluindo as despesas fiscais, devolver o dinheiro aos agentes públicos”.

Segundo a Polícia Federal, houve fraude em licitações e desvio de recursos públicos ligados a contratos de prestação de serviço de mão de obra terceirizada e do ramo de tecnologia firmados com órgãos do executivo estadual.

A investigação da PF apontou um prejuízo aos cofres públicos, em razão dos ajustes fraudulentos, estimado em cerca de R$ 25 milhões quanto à Secretaria Estadual de Administração e em cerca de R$ 3 milhões em relação à Epagri/SC, ambos em contratos ligados à área de tecnologia.

Além disso, segundo a Receita Federal, são estimados R$ 100 milhões em créditos tributários em nome de diversos contribuintes que participavam do esquema de propina.

Fábio Lunardi se apresenta no Facebook como ítalo-brasileiro e apoiador do governo de direita da Itália. Também destaca que é aluno do Seminário de Filosofia de Olavo de Carvalho.

Participou ativamente da organização do ato do dia 26, em que se procurou pressionar o STF e o Congresso Nacional e houve muitas manifestações de combate à corrupção.

Na cadeia, Lunardi tem agora oportunidade de refletir sobre a corrupção e a hipocrisia.

Mais um moralista sem moral que é desmascarado.

Joaquim de Carvalho

Comentários

comentários

Veja também