Carlos Lima
Hoje dia 24/05/2017 às 23:28:17

Economia
Carlos Lima | Publicado em 08/05/2017 às 17:37:23

Dólar sobe, encosta em R$ 3,20 e atinge o maior nível em quase 4 meses

Dólar sobe, encosta em R$ 3,20 e atinge o maior nível em quase 4 meses

O dólar fechou a segunda-feira em alta, encostado no patamar de 3,20 reais e no maior nível em quase 4 meses, acompanhando o movimento de realização de lucro no exterior após a confirmação da vitória de Emmanuel Macron à Presidência da França, mas internamente a cautela continuava com os investidores de olho na tramitação da reforma da Previdência no Congresso Nacional.

O dólar avançou 0,66%, a R$ 3,1959 na venda, maior cifra de fechamento desde 19 de janeiro, quando foi a R$ 3,2002 e pela última vez neste patamar. Na máxima da sessão, o dólar atingiu R$ 3,2073. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,65% no final da tarde.

“A larga margem de Macron sobre (Marine) Le Pen se concretizou, e não trouxe surpresas”, comentou a corretora Guide em relatório a clientes.

Macron foi eleito presidente da França na véspera com mais de 65% dos votos, derrotando Marine Le Pen, nacionalista de extrema-direita que ameaçou retirar o país da UE (União Europeia). A vitória do candidato de centro representa um alívio para aliados europeus que temiam mais avanço de populistas na sequência da decisão do Reino Unido de deixar a UE e da eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos.

O euro recuava sobre o dólar das máximas atingidas com a vitória de Macron, com investidores embolsando lucros sobre os ganhos de cerca de 3% da moeda desde que ele venceu o primeiro turno há duas semanas. No exterior, o dólar subia ante uma cesta de moedas e também ante divisas de países emergentes, como o peso chileno.

O mercado externo foi seguido de perto pelos investidores domésticos, que zeraram parte das posições vendidas de câmbio, equivalentes a apostas de queda do dólar.

Os investidores continuaram atentos à movimentação política para a votação da reforma da Previdência, considerada essencial para colocar as contas públicas do país em ordem. Está marcada para o dia seguinte a votação dos destaques ao projeto na comissão especial da Câmara dos Deputados, que na semana passada aprovou o texto-base.

“Muitos investidores também fizeram compras defensivas para esperar a votação de amanhã”, afirmou o diretor da Correparti corretora, Jefferson Rugik.

O Banco Central não anunciou intervenção para o mercado de câmbio nesta sessão. Em junho, vencem US$ 4,435 bilhões em swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares.

R7

Comentários

comentários

Veja também