Carlos Lima
Hoje dia 22/01/2019 às 07:06:24

Economia
Carlos Lima | Publicado em 08/01/2019 às 15:36:38

Governo hipócrita: Banco do Brasil promove filho de Mourão

Governo Bolsonaro privatizará cerca de cem estatais

Governo hipócrita: Banco do Brasil promove filho de Mourão Filho de Mourão promovido no Banco do Brasil

Antonio Hamilton Rossell Mourão – filho do vice-presidente da República, Hamilton Mourão – foi promovido no Banco do Brasil (BB).

Deixou para trás um cargo de assessoria na diretoria de Agronegócios para assumir posto na assessoria especial da presidência da instituição financeira, comandada por Rubem Novaes, que tomou posse na segunda-feira (7).

Rossell Mourão receberá salário de R$ 30 mil.

De acordo com o BB, ele está no banco há 18 anos, vai assessorar o presidente em assuntos relacionados ao agronegócio e sua nomeação não burla regras da empresa.

Governo Bolsonaro privatizará cerca de cem estatais

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou nesta terça-feira (8), em entrevista à rádio CBN, que o governo federal pode privatizar ou liquidar cerca de 100 estatais, como forma de levantar recursos e reduzir gastos.

Segundo Freitas, o número pode ser alcançado se forem consideradas as subsidiárias em instituições estatais como BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Banco do Brasil, Caixa e Eletrobras.

“Obviamente a gente não está falando só de privatizações, mas também de liquidações de empresas que hoje não fazem tanto sentido, e o governo obviamente está levantando uma série de situações dessas para também promover liquidações, que de certa forma vão desonerar o Orçamento. Desonerando o Orçamento vai sobrando dinheiro para investir em outras prioridades”, disse Freitas.

O ministro também afirmou que seu ministério está estudando 5.600 quilômetros em novas concessões de rodovias, além de 4.000 quilômetros de concessões atuais que são alvo de planos de futura relicitação.

“Temos que pegar todos os trechos que têm possibilidade de exploração comercial e passar para a iniciativa privada via concessão e via parceria público-privada (PPP).

Isso vai fazer com que a gente só na área da concessão disponibilize para a iniciativa privada quase 9.000 quilômetros de rodovias”, disse Freitas à rádio.

FSP

Época

Comentários

comentários

Veja também