Carlos Lima
Hoje dia 10/12/2018 às 19:45:15

Estadual
Carlos Lima | Publicado em 10/10/2018 às 11:40:42

ESTADO COM MAIOR POPULAÇÃO DE NEGROS ELEGEU PRIMEIRA DEPUTADA NEGRA EM 2018

ESTADO COM MAIOR POPULAÇÃO DE  NEGROS ELEGEU  PRIMEIRA DEPUTADA NEGRA  EM 2018 foto: divulgação

Olívia Santana (PCdoB) o Estado mais negro do País, com 81,4% da população autodeclarada descendente de africanos (60% pardos e 21,4% pretos); ela diz:

“o racismo está no Brasil todo, mas na Bahia deveria ser comum que mulheres negras ocupem espaços de poder na política. Mas o que vemos é que isso é incomum”

Olívia Santana (PCdoB) será a primeira mulher negra a ocupar uma cadeira a Assembleia Legislativa da Bahia, o Estado mais negro do País, com 81,4% da população autodeclarada descendente de africanos (60% pardos e 21,4% pretos).

Ela diz:  “o racismo está no Brasil todo, mas na Bahia deveria ser comum que mulheres negras ocupem espaços de poder na política. Mas o que vemos é que isso é incomum.”

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo traça o perfil da futura deputada: “Olívia evoca nomes como Marielle Franco (PSOL), vereadora do Rio de Janeiro assassinada, além de Leci Brandão (PCdoB) e Benedita da Silva (PT) como exemplos raros de mulheres negras eleitas. Faz a defesa enfática das pautas de costumes, como os direitos das mulheres, mas rejeita que seu mandato parlamentar seja defensor exclusivamente das causas identitárias.

‘Quero representar a sociedade baiana. Querem nos aprisionar nos rótulos e eu não aceito, quero defender direitos’, afirmou. ‘Eles é que são identitários, mas querem ser universais e nos colocar como específicos. Mas universal não são eles, universal é a diversidade’.”

A campanha de Olívia não foi fácil: “gastando R$ 150 mil na campanha, sendo R$ 80 mil do fundo partidário, R$ 35 mil do Fundo Eleitoral e o restante de doações, a ativista do movimento negro obteve 57.775 votos na votação deste domingo, 7, e ficou em 31.º lugar na lista dos 63 eleitos para a próxima legislatura baiana.

 Na campanha, recebeu contribuição militante de correligionários. As viagens foram feitas em carros cheios dividindo espaço com auxiliares e o material de campanha. ‘O poder econômico não pode determinar quem vai e quem fica’.”

Leonardo attuch

 

Comentários

comentários

Veja também