Carlos Lima
Hoje dia 24/04/2018 às 05:10:57

Estadual
Carlos Lima | Publicado em 08/02/2018 às 13:38:19

Nelson Pelegrino repudia ataque privatista de Alckmin contra aPetrobras

Nelson Pelegrino repudia ataque privatista de Alckmin contra aPetrobras Deputado Nelson Pelegrino

O deputado federal Nelson Pelegrino (PT-BA) repudiou nesta quarta-feira (7) a declaração do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em favor da privatização de diferentes setores da Petrobras, durante evento de empresários da construção civil realizado nesta quarta-feira. De acordo com o parlamentar, “os patrocinadores do golpe perderam totalmente a desfaçatez”.

O congressista entende que o tucano, pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, sinalizou com a declaração a continuidade da agenda entreguista do golpe perpetrado por Michel Temer em 2016.
“Destruíram a imagem da Petrobras para justiçar a sua privatização; é a mais vergonhosa entrega do patrimônio público nacional a interesses estrangeiros e privados na Bacia das Almas”, denunciou o parlamentar.

Além da Petrobrás, o deputado lembrou que os golpistas que estão no governo com Temer e apoiaram o golpe contra Dilma Rousseff planejam outro crime contra os interesses nacionais – a privatização do Sistema Eletrobrás, a venda da Embraer para a Boeing, além da entrega de mais jazidas do pré-sal a petroleiras estrangeiras a preço de banana.

Pellegrino rebateu os “argumentos” de Alckmin em defesa dos supostos ganhos com a privatização de setores estratégicos da economia brasileira. “A história recente no Brasil e no mundo demonstra que os argumentos dos privatistas são falaciosos. A privatização trouxe só aumento de tarifas e desinvestimento, atingindo principalmente a área social”, disse. Ele lembrou que França, Alemanha e Espanha estão reestatizando setores estratégicos, diante do fracasso das privatizações realizadas no auge do neoliberalismo.

Pellegrino ironizou a privataria defendida por Alckmin e sugeriu ao tucano confeccionar uma nova camisa, a exemplo do que fez quando foi candidato à Presidência, desta feita com os seguintes dizeres: “Vou privatizar tudo, Brasil à venda a preço de ocasião do golpe, Petrobras, Eletrobrás, Furnas, Chesf, Embraer, pré-sal, BB e CEF”.

Leonardo Attuch

 

Comentários

comentários

Veja também