Coronavírus identifica políticos que sobrevivem do sofrimento do povo/por Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Charge Bocadura

Infelizmente nessa crise sanitária provocada pela pandemia do coronavírus, sentimos que a desonestidade e o oportunismo em todas as áreas da sociedade, aflora com uma intensidade antes reprimida.

Torna-se uma prática quase cotidiana. Ocorre a transferência de qualidades adotadas apenas para desconstruir qualquer tipo de oposição ou ameaça aos interesses individuais.

Politicamente o oportunismo surpreende. Antes, quem não apertava a mão dos necessitados, agora brada amor ao próximo e se torna arauto de suas vidas.

É uma falsidade sem precedentes diante de uma personalidade já conhecidas de todos. Mesmo assim, alguns acreditam e se deixam enganar.

Temos exemplos muito próximos, basta apenas um breve relato de acontecimentos temporal não muito espaçados.

Vamos começar.

a) Verba para compra de ambulâncias.

(b) As pulseirinhas do Hospital da Mulher.

(c) operação Pityocampa com desvio de milhões de reais

(d) Boicote a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, pela Câmara Municipal, para investigar o desvio milionário de recursos da saúde.

(e) Desconstrução da Policlínica Regional de Saúde, que através de um consórcio entre o Estado e as prefeituras de uma determinada região, tem o objetivo de prestar serviços de média complexidade na rede de saúde da região, ampliando o acesso ambulatorial à especialidades médicas diversas e exames em busca de uma maior atenção à saúde do paciente.

Simplesmente abandonou suas responsabilidades na tentativa de inviabilizar o funcionamento da policlínica.

Poderíamos elencar outras ações, como obras não concluídas e duvidosas aplicações de recursos públicos na área de saúde, conforme comentários existentes nos bastidores da política municipal.

Atualmente as condições do município em enfrentar a pandemia, caso desenvolva um alto estágio de contágio, é praticamente inexistente, levando em conta as condições  de material e pessoal no seu sistema de saúde.

Não possui hospital municipal, não possui leitos de UTI em número suficiente que possa atender a demanda local e muito pior no caso da pandemia atingir o pico, já analisado e com possibilidades de acontecer.

O município pode atingir um índice de morbidade nunca antes registrado.

Este é o político que posa de bom samaritano, nunca esboçou  preocupação com a saúde no município. A não ser criticar o governo do Estado e não reconhecer o que deixou de fazer.

Por outro lado nunca esteve com o povo ou ao lado dele,

Nesse momento de desespero social, utiliza-se de sofismas para criar uma áurea de político que se preocupa com os mais carentes.

Formatou um trampolim com o coronavírus para chegar à reeleição.

Estamos em estado de alerta contra o covid-19 e os seus oportunistas.

Carlos Lima

OUTRAS NOTÍCIAS