Carlos Lima
Hoje dia 23/02/2020 às 09:49:49

Feira
Carlos Lima | Publicado em 21/01/2020 às 09:05:09

Governo Pinóquio acelera “pacote de bondade” de olho na eleição/ Por Sérgio Jones*

Governo Pinóquio acelera “pacote de bondade” de olho na eleição/ Por Sérgio Jones* Colbert foi um bom aluno

Governo do pupilo do Zé anuncia de forma pomposa a realização de um canteiro de obras, merecendo destaque a que tem os seus custos estimados em aproximadamente três milhões de reais.

Este investimento na infraestrutura local permitirá o prolongamento da extensão da Avenida Fraga Maia que depois de pronta fará ligação direta com o bairro Papagaio.

Colbert Martins explicou e comparou mais esse “pacote de bondade” como se ele estivesse reinventado a roda.

O curioso de toda essa onda virtuosa, voltada para a mobilidade urbana, deixa no ar uma promessa em direção de um promissor futuro que transformará terra de Lucas na terra da promissão, onde jorrará o leite e o mel. Todo esse artifício falacioso tem uma explicação óbvia, a reeleição dele.

Estamos vivendo o ano do Pinóquio onde mentiras e promessas repetidas muitas vezes se tornam verdades.

O gestou destacou ainda que a demora da obra para ser iniciada foi devido o projeto que inclui uma drenagem antes da área que começa há 300 metros para que seja feita uma drenagem no córrego do Conjunto Renascer.

Na realidade a demora tem uma outra explicação, se restringe ao calendário eleitoral. Afinal o que estes gestores não conseguem realizar ao longo de três anos, prometem eles realizar em menos de um.

Aproveita o alcaide para tirar uma casquinha e faturar em cima da duplicação da BR 116 Norte, obra federal. Ao garantir que vai construir um retorno em frente da universidade e outro que ficará próximo da fazenda Havana.

Mas esqueceu de mencionar que qualquer intervenção ao longo da BR 116 Norte, só poderá ser executada com a anuência do governo federal.

Entre outros serviços que serão realizados promete ele, entregar as obras, totalmente prontas à população, em pouco menos de um ano. Acreditem se quiser.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Comentários

comentários

Veja também