Carlos Lima
Hoje dia 20/10/2018 às 14:52:21

Feira
Carlos Lima | Publicado em 30/01/2018 às 09:41:46

Licitação transporte alternativo forte aparato policial: cobradora grávida é algemada

Licitação transporte alternativo forte aparato policial: cobradora grávida é algemada PERMISSIONÁRIO SENDO PRESO

O clima é de conflito.

O Ginásio Oyama Pinto, em Feira de Santana, local da licitação do transporte alternativo, está com um forte aparato de segurança, com a presença de prepostos da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Militar, da Guarda Municipal e segurança particular.

Esse esquema de segurança foi solicitado pelo governo municipal para acompanhar o processo licitatório, e terminou acirrando mais aina os ânimos entre os trabalhadores do transporte alternativo.

Segundo informações, por volta das 7h30 houve um princípio de confusão, o que já era esperado,  e uma cobradora  grávida terminou sendo algemada.

O presidente da Coopetrafs, José Vicente Silva afirmou que deseja apenas acompanhar a licitação para reivindicar os direitos da categoria de forma democrática. Ele afirmou que os permissionários se assustaram ao chegar ao local e encontrar forças policiais.

“É uma barbaridade o que está acontecendo com o transporte alternativo aqui em Feira de Santana. Ninguém aqui é bandido, só queremos uma licitação justa, que não deixe motorista e cobrador desempregados. Quero deixar claro para a população que o que ocorrer com qualquer permissionário, a responsabilidade será do município. Ninguém veio para enfrentar a polícia. Vamos ficar aqui e tentar impugnar essa licitação”, disse.

O secretário municipal de Transportes e Trânsito, Saulo Figueiredo, informou que: “A presença das forças de segurança é para fazer com que as leis sejam cumpridas, com segurança aos membros da comissão de licitação”.

“Na quinta acompanhamos, houve invasão ao prédio público, ameaça aos servidores, então houve o cometimento de vários crimes e isso não é manifestação pacífica. Para garantir o cumprimento das leis, solicitamos apoio dos poderes de segurança”, disse.

De acordo com o secretário, José Vicente não procurou o município para reivindicar melhorias do sistema alternativo de transporte e nem para pedir o aumento no número de vagas. Atualmente são 120 vagas para 206 vans.

“Ele não nos procurou. Em nenhum momento ele tratou sobre nenhuma questão da licitação. Na verdade ele veio me fazer um pedido pessoal, sobre a mudança da linha dele. Apenas isso”, informou.

O secretário municipal de Prevenção à Violência, Pablo Roberto, também está no estádio Oyama Pinto para acompanhar a licitação. Segundo ele, 30 homens da guarda municipal estão no local para preservar o patrimônio público e garantir a segurança dos membros da comissão.

Comentários

comentários

Veja também