Carlos Lima
Hoje dia 19/11/2018 às 07:19:28

Geral
Carlos Lima | Publicado em 07/05/2018 às 15:31:21

Em 20 anos o país não precisará mais do Bolsa Família, diz Temer

Em 20 anos o país não precisará mais do Bolsa Família, diz Temer O presidente Michel Temer

O presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira (7) que o programa Bolsa Família é “útil”, porém não deve ser “eterno”. Segundo o presidente, se o Brasil prosperar, “quem sabe” o programa social não seja necessário daqui a 20 anos.

Temer deu a declaração durante evento do setor de supermercados em São Paulo.

Na oportunidade, ele pediu aos empresários do ramo que ofereçam emprego a filhos de lares beneficiários do Bolsa Família, como uma iniciativa do programa do governo federal chamado Progredir.

Lançado em 2017, o Progredir tem o objetivo de elevar a renda das famílias para que elas possam deixar o Bolsa Família. A ação oferece cursos de qualificação profissional, ajuda na seleção de oportunidades de trabalho e disponibiliza microcrédito para famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único dos programas sociais do governo federal.

“Esse Progredir tem como base a seguinte convicção, a seguinte ideia: o Bolsa Família é útil nesse momento, mas evidentemente que não há de ser eterno. Quem sabe o Brasil prospera de uma tal maneira, que daqui a 20 anos você não precise mais do Bolsa Família. Mas para isso é preciso progredir”, disse Temer.

O presidente ainda declarou que vai pedir ao ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, para procurar os empresários e viabilizar a oferta de trabalho aos beneficiários do Bolsa Família.

“Vou pedir exatamente que entrem em contato para que contratem os filhos das famílias do Bolsa Família, porque eles começam a trabalhar e, aqui eu estou dando uma coisa de natureza social para os supermercados, porque os senhores vão colaborar para a redenção daqueles que têm mais dificuldades econômicas no nosso país”, disse o presidente.

Temer voltou a listar medidas adotadas em seu governo que, segundo ele, geraram resultados positivos na economia e modernizaram o país. O presidente citou o teto os gastos públicos e a reforma do Ensino Médio.

Ele também comemorou a queda da inflação e da taxa de juros que, segundo o presidente, judam na valorização dos salários dos trabalhadores e permitem que os empresários não aumentem os preços de seus produtos.

“Isso chega não só as camadas mais prestigiadas do povo, mas também às classes mais vulneráveis”, disse.

Guilherme Mazui

Comentários

comentários

Veja também