Carlos Lima
Hoje dia 26/06/2019 às 17:58:13

Legislativo
Carlos Lima | Publicado em 22/05/2019 às 08:42:51

Após rompimento de Maia com líder do governo, Bolsonaro acredita em harmonia

Após rompimento de Maia com líder do governo, Bolsonaro acredita em harmonia Maia rompe com líder do governo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite de terça-feira que acredita na “harmonia, na sensibilidade e no patriotismo” dos membros dos três Poderes para o Brasil atravessar o atual momento, após o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), romper com o líder do governo na Casa, Vitor Hugo (PSL-GO).

“Acredito na harmonia, na sensibilidade e no patriotismo dos integrantes dos três Poderes da República para o momento que atravessa nossa nação.

Juntos, ao lado da população brasileira e de Deus, alcançaremos nossos objetivos!”, disse Bolsonaro em texto publicado no Twitter.

A publicação ocorreu no final de um dia em que Maia anunciou o rompimento com Vitor Hugo durante reunião do colégio de líderes da Câmara, num momento em que a gestão de Bolsonaro patina em organizar sua base para a votação de medidas importantes, como a reforma da Previdência.

O presidente da Câmara, que já não nutria simpatia pelo líder e não o recebia em seu gabinete, irritou-se com postagem do deputado em rede social de uma charge que insinua que o “diálogo” seria equivalente a um parlamentar com dinheiro, disseram duas fontes.

Bolsonaro também comentou no Twitter sobre as manifestações convocadas para domingo em apoio ao governo.

Segundo o presidente, os atos do dia 26 são “uma manifestação espontânea da população, que de forma inédita vem sendo a voz principal para as decisões políticas que o Brasil deve tomar”.

O presidente inicialmente chegou a considerar comparecer ao ato, que foi chamado por apoiadores para se contrapor às manifestações do último dia 15 contra bloqueio nos recursos para a Educação, no que acabou se tornando um ato contra o governo, mas acabou decidindo não participar e orientou seus ministros a também não comparecerem.

Pedro Fonseca

Comentários

comentários

Veja também