Carlos Lima
Hoje dia 15/10/2018 às 13:02:53

Legislativo
Carlos Lima | Publicado em 09/01/2018 às 14:40:52

Bolsonaro é um dos deputados com imóvel que recebem auxílio-moradia

Bolsonaro é um dos deputados com imóvel que recebem auxílio-moradia Bolsonaro disse ontem, em suas redes sociais, que sofre “assassinato de reputações”

Mesmo sendo dono de um apartamento em Brasília, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) recebe auxílio-moradia de R$ 3.083 da Câmara. O presidenciável possui um imóvel de dois quartos na capital federal desde 1998 e recebe o benefício desde 1995. A informação foi publicada pelo jornal “Folha de S.Paulo”. Os oito deputados que representam o Distrito Federal, por exemplo, abriram mão do recurso, justamente por possuírem imóveis na capital.

O auxílio-moradia é pago a deputados que não ocupam apartamentos funcionais em Brasília. Não há imóveis suficientes para todos. O pagamento pode ser feito por meio de reembolso, para quem apresenta recibo de aluguel ou de gasto com hotel em Brasília; ou em espécie, sem necessidade de apresentação de qualquer recibo, mas nesse caso com desconto de 27,5% relativo a Imposto de Renda. Bolsonaro optou por essa segunda opção.

Em novembro, a listagem oficial da Câmara mostrava 336 parlamentares ocupando apartamentos funcionais fornecidos pela Casa, 81 recebendo reembolso após apresentarem comprovante de gasto com moradia e 69 recebendo o valor em espécie, descontado o Imposto de Renda, sem necessidade de apresentar qualquer recibo de gasto com moradia, entre eles Bolsonaro. Assim, pelas informações da Câmara, 27 dos atuais 513 parlamentares abriram mão de receber o dinheiro ou apartamento da Câmara.

O apartamento de Bolsonaro, de 69m² e localizado no bairro Sudoeste da capital, não é o único imóvel em nome do possível candidato à presidência. Ele também tem dois imóveis no Estado do Rio, um na Barra da Tijuca, na capital fluminense, e outro em Angra dos Reis.

Nessa segunda-feira (8), nas redes sociais, Bolsonaro reclamou das reportagens sobre seu patrimônio. “O Brasil vive a maior campanha de assassinato de reputação de sua história recente, protagonizada pela grande mídia. Chega a ser cômico. Com tanto escândalo e crime dentro da política, a pauta são minhas ações lícitas. Escolheram viver no mundo da fantasia onde eu seria o mau”, escreveu o deputado.

O Tempo

Comentários

comentários

Veja também