Carlos Lima
Hoje dia 17/07/2018 às 17:37:21

Literatura
Carlos Lima | Publicado em 19/06/2018 às 14:41:56

Jabuti mantém mudanças feitas por ex-curador

Jabuti mantém mudanças feitas por ex-curador O curador Luiz Armando Bagolin

Apesar da controvérsia que resultou no desligamento do curador Luiz Armando Bagolin, o Prêmio Jabuti não vai revogar as mudanças feitas pelo professor no regulamento deste ano. Para dar agilidade à cerimônia de entrega dos troféus, marcada para 8 de novembro, Bagolin reduziu de 29 para 18 as categorias da premiação, suprimindo algumas importantes como livro-reportagem e fundindo infantil e juvenil, por exemplo. Ele também deslocou ilustração para a área técnica do prêmio. As duas últimas mudanças, em especial, desagradaram o autor e ilustrador Roger Mello, vencedor do Hans Christian Andersen, principal prêmio da literatura infantil no mundo, e o especialista Volnei Canônica, que as criticou em sua coluna no site PublishNews, onde se iniciou um bate-boca entre Bagolin e a dupla.

Em um comentário, o professor ironizou a posição de Canônica lembrando seu relacionamento amoroso com Mello, o que foi visto por muitos no meio literário como homofobia, pôs fogo num rastro de pólvora e terminou por implodir a relação do curador com a Câmara Brasileira do Livro (CBL), que promove o Jabuti.

No final da tarde desta segunda-feira, a CBL anunciou que vai manter o regulamento refeito por Bagolin. Em carta enviada a especialistas, articuladores, promotores, mediadores de leitura e designers da Literatura Infantil e Juvenil, a instituição afirmou que realizar novas alterações ainda neste ano é “tecnicamente inviável”, mas que pode rever as regras em 2019.

“O atual formato do Prêmio Jabuti é resultado de um trabalho iniciado há mais de um ano. Para que o processo possa se realizar com segurança e transparência inerente à premiação, foi construída uma plataforma digital — já homologada pela auditoria independente — onde se dão os processos de inscrição, leitura dos inscritos, votação e apuração”, diz o texto. “Diante do exposto, o Prêmio Jabuti 2018 seguirá conforme foi idealizado, preservando a integridade do sistema operacional e, principalmente, em respeito às obras já inscritas mediante o aceite dos participantes ao regulamento anunciado em 15 de maio de 2018.”

Confira a carta da Câmara Brasileira do Livro (CBL), na íntegra:
São Paulo, 18 de junho de 2018.

Caros senhores escritores, ilustradores, especialistas, articuladores, promotores, mediadores de leitura e designers da Literatura Infantil e Juvenil

Ao longo de 60 anos, o Prêmio Jabuti esteve sempre conectado com o mercado, o público e os criadores, atento a críticas e sugestões e se adequando às mudanças dos tempos. Acreditamos que todo processo de mudança, como o que vivemos agora, gera bem-vindos debates. Por esta razão agradecemos desde já as contribuições feitas com o objetivo de aprimorar o novo formato do Prêmio Jabuti.

No encontro com a Comissão indicada por vocês, nos comprometemos a convocar o Conselho Curador para avaliar as sugestões apresentadas. No entanto, após a reunião do Conselho Curador, teve início uma polêmica na internet que acabou por extrapolar as questões do Prêmio e atropelar nosso processo de diálogo que agora retomamos.

Após cuidadosa análise junto aos conselheiros, auditores externos contratados e ao departamento jurídico da CBL, avaliamos a possibilidade de implementar as modificações sugeridas ainda este ano, o que se mostrou tecnicamente inviável.

O atual formato do Prêmio Jabuti é resultado de um trabalho iniciado há mais de um ano. Para que o processo possa se realizar com segurança e transparência inerente à premiação, foi construída uma plataforma digital — já homologada pela auditoria independente — onde se dão os processos de inscrição, leitura dos inscritos, votação e apuração. Diante do exposto, o Prêmio Jabuti 2018 seguirá conforme foi idealizado, preservando a integridade do sistema operacional e, principalmente, em respeito às obras já inscritas mediante o aceite dos participantes ao regulamento anunciado em 15 de maio de 2018.

Gostaríamos de destacar que, embora constatada a impossibilidade de implementação de sugestões para esta edição, todas as propostas apresentadas serão consideradas no momento do desenho do regulamento de 2019. Lembrando ainda que, assim como nesta edição, a futura curadoria terá liberdade para ouvir o mercado e, junto com o Conselho Curador, propor os aprimoramentos ao Prêmio.

Concluímos que entendemos a importância das sugestões apresentadas e reforçamos que continuamos abertos para ouvir e discutir sugestões que aperfeiçoam e lapidam o Prêmio Jabuti, tão querido e respeitado pelo mercado editorial e por toda sociedade brasileira.

Maria Carolina Maia

Comentários

comentários

Veja também