Carlos Lima
Hoje dia 20/04/2018 às 06:50:20

Literatura
Carlos Lima | Publicado em 22/01/2018 às 15:55:52

Livro sobre a farsa de “Os Protocolos dos Sábios de Sião”será lançado no Rio

Livro sobre a farsa de “Os Protocolos dos Sábios de Sião”será lançado no Rio Livro sobre a farsa de “Os Protocolos dos Sábios de Sião”será lançado no Rio

Nesta terça-feira (23), a partir das 19h, acontece no Rio de Janeiro o lançamento do livro “A Força da Mentira – a grande farsa de Os Protocolos dos Sábios de Sião” (480 páginas, R$ 81,00, Educ), de Hadassa Ben-Itto, com tradução da jornalista brasileira Miriam Sanger.

O lançamento acontece na Livraria da Travessa, no Shopping Leblon, à av. Afrânio de Mello Franco, 290 – loja 205ª, no 2º. andar.

Junto com o lançamento, acontece um debate sobre o tema do livro, com a presença de José Luiz Goldfarb (coordenador da Cátedra da Cultura Judaica e diretor da Educ – Editora da PUC-SP), Carlos Roberto Schlesinger (presidente da Anajubi – Associação de Advogados e Juristas Brasil-Israel) e Cláudia Costin (FGV-RJ).

O evento é uma realização conjunta da Educ com Livraria da Travessa e tem o apoio da Crevra Kadisha – Associação Religiosa Israelita do Rio de Janeiro, da Associação Nacional de Advogados e Juristas Brasil-Israel e da Unibes Cultural.

Sobre o livro 

Com 480 páginas e preço de R$ 81, a obra penetra nos grandes julgamentos a respeito desse livro que é o grande clássico da literatura antissemita no mundo. The Lie That Wouldn’t Die foi publicado pela primeira vez, com grande repercussão, em alemão e hebraico, em 1998. Foram três edições em cada idioma. Depois, foi traduzido também para o inglês (duas edições), russo, holandês, espanhol, húngaro, búlgaro, romeno, árabe, parsi e, agora, português. Escrito em inglês, o livro foi traduzido pela própria autora para o hebraico.

Em “A Força da Mentira – a grande farsa de Os Protocolos dos Sábios de Sião”, a juíza conta seu primeiro contato com Os Protocolos dos Sábios de Sião, sua busca pelas origens do texto, sua entrevista com os envolvidos em sua redação e publicação, sua investigação em diversos países e os dois julgamentos públicos da obra, realizados na África do Sul e na Suíça, em 1934, no início da ascensão do nazismo.

Como relata a autora, “de todos os libelos que já serviram como meio de incitação contra os judeus e como justificativa intelectual para o antissemitismo, o mito da assim chamada ‘conspiração judaica de dominação mundial’ – que foi materializado na farsa expressa em Os Protocolos dos Sábios de Sião – é provavelmente o mais capcioso e, a longo prazo, o mais perigoso entre todos”.

A Força da Mentira traz a história daqueles que forjaram esse texto, que o utilizaram e o distribuíram pelo mundo. Ao mesmo tempo, presta homenagem àqueles que o expuseram e o contestaram.

Jornal do Brasil

Comentários

comentários

Veja também