Carlos Lima
Hoje dia 20/04/2018 às 12:37:07

Literatura
Carlos Lima | Publicado em 17/04/2018 às 14:58:53

Reedição de livro de autoria de Cosme de Farias terá lançamento em Salvador

Reedição de livro de autoria de Cosme de Farias terá lançamento em Salvador Bruno Rodrigues de Lima é o responsável pela reedição do livro

A reedição de Lama & Sangue, de autoria de Cosme de Farias, terá três sessões de lançamento em Salvador. Os eventos serão realizados na quarta-feira (18), na Faculdade de Direito da Ufba, às 9h, e na quinta-feira (19), na Uneb do Cabula, às 9h, e na Escola da Defensoria Pública, no Canela, às 14h.
O responsável pela reedição do livro, Bruno Rodrigues de Lima, é advogado, graduado pela Universidade do Estado da Bahia, Mestre e doutorando em Direito, Estado e Constituição, pela Universidade de Brasília – UnB e mestrando em História Social pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.
Cosme de Farias (1875 – 1972) conhecido como defensor da educação popular e por advogar por réus pobres na cidade de Salvador, nascido dentro do tempo da escravidão, filho de uma negra liberta, tornou-se um dos personagens mais importantes da história do Brasil.
O advogado criou a Liga Baiana contra o Analfabetismo, a defesa dos negros capoeiristas no Tribunal de Júri e a reivindicação dos direitos dos trabalhadores no contexto da greve geral de 1919, em Salvador.
Lama & Sangue é um registro sobre os rigores do estado de sítio ocorridos na Bahia, no período de março de 1924 a dezembro de 1926, sobre a Bahia sitiada e a reação de parte da oposição.
A ruptura da constitucionalidade, através do decreto que sitiou a Bahia é exposto em três linhas gerais: repressão e a incomunicabilidade dos presos, a alegação da inconstitucionalidade pela demissão do juiz do Tribunal de Contas do Estado da Bahia; e a supressão da minoria do parlamento através de uma manobra vedada pela constituição.
Separadas por noventa e dois anos, as edições de Lama & Sangue, são destinadas aos cidadãos, às almas emancipadas e aos espíritos dispostos a serem educados na cultura da justiça.

G1

Comentários

comentários

Veja também