Carlos Lima
Hoje dia 23/10/2017 às 11:40:10

Nacional
Carlos Lima | Publicado em 22/09/2017 às 15:26:21

A queda de Temer

A queda de Temer Foto de arquivo

O Brasil nunca teve um presidente da República com acusações de crimes tão graves, formalizadas pelo Poder Judiciário.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, dá sinais de que vai lavar as mãos.

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, Rodrigo Pacheco, disse que não vai nomear relator indicado pelo governo, para dar parecer ao pedido do STF,  na Comissão. Será escolha própria.

Tudo indica que Temer está sendo abandonado pela base como um cão sarnento. As eleições se aproximam e não devem querer pedir voto sendo parlamentar governista.

Ainda mais com os militares apontando para o art. 142 da Constituição, depois que ele assinou acordo, na viagem aos Estados Unidos, que desfaz o Plano Estratégico de Defesa Nuclear, criado pelo ex-presidente Lula, e abre a tecnologia brasileira de centrifugação de urânio à inspeção da Agência Internacional de Energia Atômica e de todas as instalações militares brasileiras.

Por várias vezes a AIEA tentou entrar no centro tecnológico de pesquisa nuclear, em Iperó/SP, mais foi barrada pelo Almirante Otho Silva e sua equipe.

Com esse acordo, Temer entrega o segredo tecnológico brasileiro desenvolvido pelo físico e Almirante Otho Silva, ex-presidente da Eletronuclear, acusado de corrupção e condenado a 43 anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro.

Esse acordo pode ter sido a gota dágua. O programa nuclear brasileiro foi criado na época da ditadura e é tido pelos militares como o que há de mais avançado na estratégia de defesa das forças armadas.

Os submarinos brasileiros que seriam equipados com propulsão nuclear, como parte da esquadra de guarda da costa brasileira, das 200 milhas, onde está o pré-sal, podem estar condenados ao arquivo.

O golpe afunda. O plano dos conspiradores que derrubaram Dilma, para estancar as investigações, deu errado.

A promessa dos conspiradores, de livrar os parlamentares denunciados, não foi cumprida. Venderam e não entregaram.

Maia tem também em suas mãos o pedido de impeachment da OAB e vários outros.

Dependendo do resultado da votação do pedido de autorização do STF, ele pode acatar uma das propostas e a Câmara aprovar também abertura de processo de investigação contra Temer.

O que Temer faz, comprar o Congresso para se manter no poder, Maia também pode fazer. Os métodos dos dois são iguais.

Além disso, Eduardo Cunha assinou acordo de delação, que pode agravar ainda mais a situação de Temer e de muitos parlamentares e ministros do governo.

Tudo indica que Temer será afastado e preso e parece que não vai demorar muito.

O mesmo deve acontecer com os ministros Eliseu Padilha, Moreira Franco, e outros da laia.

Estão na mesma mira, os senadores Aécio Neves, Romero Jucá, José Serra, Edson Lobão, e muitos outros parlamentares.

O ministro Edson Fachin vai assinar a lista de pedidos de prisão, quem sabe até o final do ano, ou final do semestre de 2018.

Pelo andar da carruagem parece que vai precisar de ônibus para levar os malandros pro xadrez.

Vão preparar o ambiente e o candidato do golpe para as próximas eleições.

LAUREZ CERQUEIRA

Comentários

comentários

Veja também