Gilmar derruba própria liminar e autoriza seguimento do caso Queiroz

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Flávio Bolsonaro e seu ex-assessor Fabrício Queiroz,

Gilmar Mendes derrubou na sexta (29) a liminar que ele próprio concedeu à defesa de Flávio Bolsonaro, e agora as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre o esquema de rachadinha envolvendo Fabrício Queiroz podem ser retomadas.

Gilmar havia acolhido pedido de Flávio para paralisar as investigações em 30 de setembro, em função de uma outra decisão, também provisória, do ministro Dias Toffoli, que suspendia investigações em todo o País por causa de um debate em torno de compartilhamento de dados sigilosos entre autoridades sem autorização judicial prévia.

Toffoli recuou depois no plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu liberar investigações com esse tipo de cooperação.

“Assim, Toffoli derrubou sua própria liminar, e Gilmar fez o mesmo nesta sexta”, narrou a Folha.

Gilmar manteve o sigilo dos autos envolvendo Flávio Bolsonaro e Queiroz, “em razão da existência de dados bancários e fiscais do reclamante acobertados pela proteção à intimidade”, escreveu.

O filho do presidente Jair Bolsonaro é investigado por suposto esquema de rachadinha no período em que era deputado estadual no Rio.

Queiroz teria sido o responsável por recolher parte do salário dos funcionários do gabinete de Flávio.

Luis Nassif

OUTRAS NOTÍCIAS