Carlos Lima
Hoje dia 23/05/2017 às 01:12:37

Nacional
Carlos Lima | Publicado em 29/04/2017 às 11:13:33

Planalto envia recado a Renan após críticas

Planalto envia recado a Renan após críticas RENAN O LÍDER DE TEMER NO SENADO

Incomodado com a oposição do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), às reformas trabalhista e da Previdência, o governo autorizou a divulgação de uma nota assinada pelo senador Romero Jucá (RR), líder do governo na Casa, na qual diz que “qualquer decisão sobre a liderança do partido no Senado cabe à bancada de senadores”.

A nota foi divulgada ontem, um dia após Renan ter feito um discurso no plenário atacando a reforma trabalhista, aprovada na véspera na Câmara e que, a partir da semana que vem, começa a ser analisada no Senado.

A aliados, Jucá já avaliou que a permanência de Renan no cargo dependerá do seu “comportamento quando as reformas começarem a tramitar” na Casa.

Em seu discurso, Renan defendeu a mudança do texto pelos senadores.

“Não acredito que essa reforma saia da Câmara e chegue ao Senado – reforma de ouvidos moucos – sem consultar opiniões. Reforma que só interessa ao sistema financeiro, rejeitada em peso e de cabo a rabo pela população, reforma tão mal feita que chega a constranger e a coagir a base do próprio governo”, afirmou o peemedebista.

A estratégia de Renan, com apoio de parlamentares da oposição, é fazer com que a proposta passe por pelo menos três comissões antes de chegar ao plenário.

Já os governistas querem que o texto passe por apenas um colegiado, em caráter de urgência, podendo ser apreciado no plenário em três semanas.

O Estado apurou que o presidente Michel Temer está contrariado com Renan e avalia articular sua destituição da liderança caso ele mantenha oposição às reformas.

Por ora, a ordem é ainda não criar desgastes com o senador.

Na nota, Jucá, presidente em exercício do PMDB, pondera que o assunto não está sendo tratado.

“Ainda não houve nenhuma conversa com o presidente Michel Temer”, afirmou o texto.

Mudança

Para destituir Renan, seriam necessários os votos de 12 dos 22 senadores peemedebistas, mas, para o senador Raimundo Lira (PMDB-PB), o líder da bancada tem força na Casa.

“Se Renan permanecer com essa determinação, o que vai acabar acontecendo é o que ele está querendo”, afirmou Lira.

O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) disse que Jucá não deve interferir em assuntos da bancada.

“Não é o presidente em exercício do PMDB que tem de falar sobre liderança da bancada. O presidente em exercício do PMDB está dando uma nota estapafúrdia.”

Para o senador Airton Sandoval (PMDB-SP), Jucá deu um recado a Renan.

“Renan está assumindo opiniões pessoais, atrapalhando o governo, e isso não pode continuar”, disse.

Procurado, Renan disse que “não está sabendo” de nenhum tipo de movimento contra ele, nem leu a nota de Jucá. “Não sei se há movimento, se não há.”

ESTADÃO

Comentários

comentários

Veja também