Carlos Lima
Hoje dia 20/09/2019 às 03:46:55

Nacional
Carlos Lima | Publicado em 28/10/2015 às 05:19:10

SERRA VIU ‘EXAGERO’ EM AÇÃO DA PF CONTRA FILHO DE LULA

SERRA VIU ‘EXAGERO’ EM AÇÃO DA PF CONTRA FILHO DE LULA Serra diz PF excagerou

O senador José Serra (PSDB-SP) disse ter considerado um “exagero” a decisão da Polícia Federal de realizar uma busca e apreensão no escritório de um dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Luís Cláudio, o que ocorreu na manhã da segunda-feira (27), como parte das investigações da Operação Zelotes.

A aliados, o tucano teria relatado desconforto com a medida e disse que o episódio abre precedentes para que ações como essa atinjam também familiares de outros políticos.

Preocupação de Serra pode estar ligada ao fato de que sua filha, Verônica Serra, também já foi alvo de denúncias de que teria movimentado ilegalmente recursos em sua empresa, o que ela nega.

Operação

A Polícia Federal realizou buscas na manhã da segunda-feira (27), na LFT Marketing Esportivo, escritório de Luis Claudio Lula da Silva, na terceira fase da Operação Zelotes. Nesta etapa, foram presos o lobista Alexandre Paes dos Santos e José Ricardo Silva, conselheiro do Carf, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais. A Zelotes investiga um suposto esquema de lobby que visaria reduzir dívidas fiscais de grandes empresas e obter benefícios tributários.
A defesa de Luis Claudio disse que a ação foi “despropositada”. A Touchdown, segundo o texto dos advogados, pratica atividade lícita e “não tem qualquer relação com o objeto da investigação da chamada ‘Operação Zelotes'”. Já no caso da LFT Marketing Esportivo, “que se viu indevidamente associada à edição da MP 471 – alvo da Operação Zelotes –, a simples observação da data da constituição da empresa é o que basta afastá-la de qualquer envolvimento com as suspeitas levantadas: A citada MP foi editada em 2009 e a LFT constituída em 2011 — 2 anos depois”, argumenta.

A defesa afirma que as duas empresas “jamais tiveram qualquer relação, direta ou indireta, com o Carf”, órgão em que era concentrado o esquema de venda de lobby que visa reduzir dívidas fiscais de grandes empresas e obter benefícios tributários.

Luciano Attuch

Comentários

comentários

Veja também