Carlos Lima
Hoje dia 28/07/2017 às 17:07:11

Polícia
Carlos Lima | Publicado em 30/06/2017 às 11:55:42

PF faz operação contra quadrilha que sequestrava familiares de funcionários da Caixa para acessar cofres

PF faz operação contra quadrilha que sequestrava familiares de funcionários da Caixa para acessar cofres Policiais apreenderam arsenal de quadrilha durante cumprimento dos mandados de busca e apreensão (Foto: Imagens cedidas pela PF)

Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta sexta-feira (30), uma operação para desarticular uma organização criminosa da Grande São Paulo especializada no crime de extorsão mediante sequestro. Segundo as investigações, a quadrilha sequestrava familiares de funcionários da Caixa Econômica para depois exigir a abertura de cofres do banco como resgate.

A PF cumpre, ao todo, oito mandados de prisão temporária e nove de busca e apreensão na capital paulista. Sete dos suspeitos já haviam sido presos às 7h40, conforme último balanço divulgado pela corporação. Policiais também apreenderam armas, munições, celulares, coletes e até explosivos nos locais visitados.

Cerca de 70 agentes estão envolvidos na operação, que foi batizada de “Grajaú”. O nome foi escolhido porque era no bairro do Grajaú, no extremo Sul da cidade, onde os criminosos mantinham as vítimas em cativeiro. Os detidos devem responder pelo crime de extorsão mediante sequestro, com penas de 12 a 20 anos de prisão, já que havia menor de idade entre as vítimas

A quadrilha passou a ser investigada após uma sequência de casos similares de sequestro. Em outubro de 2016, familiares do tesoureiro de uma agência da Caixa, na Zona Sul de São Paulo, foram mantidos em cárcere privado e cobertos por explosivos na tentativa de coagir o funcionário a abrir o cofre e entregar a quantia guardada aos criminosos.

Em novembro do mesmo ano, houve um segundo sequestro nos mesmos moldes. Nos dois casos o grupo usou o aplicativo WhatsApp para enviar fotos de familiares amarrados a explosivos aos funcionários da Caixa para intimidá-los. Em ambos os crimes, as vítimas foram encontradas no Grajaú, e o armamento usado pelos criminosos também era parecido nas duas ocasiões.

Um dos investigados que estava mira da PF foi preso antes mesmo da operação ser deflagrada. Ele foi detido em flagrante com outras sete pessoas no último domingo (25) com um carro blindado e grande quantidade de armas e munição. Para a polícia, o grupo se preparava para assaltar mais uma agência bancária.

G1

Comentários

comentários

Veja também