Carlos Lima
Hoje dia 13/12/2018 às 00:09:00

Polícia
Carlos Lima | Publicado em 09/02/2017 às 18:06:49

UEFS: Terceirizados denunciam que estão a três meses sem receber saláreios

Governo do Estado sucateia a UEFS para privatizar

UEFS: Terceirizados denunciam que estão a três meses sem receber saláreios Estado sucateia Uefs

O desrespeito aos trabalhadores da Uefs tem sido recorrente.

Mais uma vez, com a suspensão dos salários dos terceirizados da jardinagem e manutenção, que não receberam os valores referentes a dezembro do ano passado e janeiro deste. Vale-transporte e ticket-refeição só foram pagos até o último mês de 2016.

Na quarta (8) e nesta quinta-feira (9), os funcionários fizeram uma mobilização no pórtico da instituição com o objetivo de chamar a atenção da comunidade acadêmica para o grave problema que prejudica o cotidiano de centenas de famílias.

A situação é reflexo da redução orçamentária imposta pelo governo estadual.

O ato público começou às 7h30 e terminou pouco antes das 9h.

Com cartazes, os trabalhadores denunciaram o atraso nos pagamentos e exibiram faturas pessoais que não foram quitadas.

Também reclamaram que há dois anos não têm reajustes. Diariamente, nos turnos matutino e vespertino, os terceirizados paralisam as atividades por duas horas.

“De 2015 até então, o número de terceirizados foi reduzido, o que desempregou muitos pais e mães de família e, por outro lado, sobrecarregou com mais tarefas quem ficou na instituição.

Como o atraso no pagamento é sempre uma constante, fui forçado a tirar meu filho de uma escolinha particular para matricular na rede pública”, lamentou M. A. A.

A previsão da administração da Uefs é que os profissionais da equipe de jardinagem e manutenção recebam os proventos até a próxima semana, assim que efetuado o pagamento às empresas responsáveis pela terceirização do serviço.

O salário referente a janeiro dos trabalhadores da vigilância, limpeza, telefonia e das merendeiras, que deveria entrar na conta bancária este mês, também segue suspenso.

Segundo a administração da Uefs, que tenta, a duras penas, contornar a crise orçamentária causada com a redução dos recursos destinados pelo governo, “os atrasos são decorrentes de dificuldades enfrentadas com mudanças nos trâmites de processos administrativos da administração pública estadual e restrições orçamentárias ocorridas no exercício de 2016”.

Ascom/Adufs

Comentários

comentários

Veja também