Carlos Lima
Hoje dia 13/12/2017 às 18:40:43

Política
Carlos Lima | Publicado em 23/11/2017 às 15:10:55

Banquete de Temer no Alvorada mostra governo fraco para aprovar Previdência

Banquete de Temer no Alvorada mostra governo fraco para aprovar Previdência O banquete causou frustração

O jantar -regabofe cabe melhor –  da”demonstração de força” reuniu, diz o G1, “segundo a assessoria da Presidência, 176 pessoas, entre ministros, economistas e parlamentares”.

Na melhor das hipóteses, 150 deputados.

Mais tarde, falou-se em 180 parlamentares

Pouco mais que a metade dos 300 que foram convidados.

128 a menos dos 308 necessários para aprovar a reforma.

Verdade que não terá só estes, porque parte das ausências está “agregando valor” a seu voto.

Mas o número foi baixíssimo.

Sinal de que, ao menos antes da operação de compra de votos, a perspectiva de aprovação da reforma da Previdência é zero.

E que colocá-la em votação é um harakiri político,  ao menos agora.

E mais ainda a cada dia que se passar.

Quando o dia clarear, os jornais trarão mais inconfidências e avaliações dos próprios governistas de que, com está, a reforma não vai.

E que, mesmo que o que se vai tirar do pouco que sobrou dificilmente irá adiante.

Mais irrealista que o “vamos votar dia 6”  proclamado por Rodrigo Maia parece ser a esperança do “mercado” de que se aprove alguma – qualquer – reforma previdenciária.

No teatro hipócrita do fisiologismo travestido de ‘salvação nacional’ no qual Michel Temer “apelou para o discurso de que haverá um “colapso” no cenário econômico caso a reforma da Previdência não seja aprovada”, segundo a Filham uma coisa é verdadeira.

É que “o mercado ” , desde a aprovação triunfal da PEC do Teto de gastos, nos tempos em que 2/3 da Câmara votava o que Temer quisesse, precificou a reforma da Previdência.

Acordar da ilusão de que ela possa ocorrer, embora não tão grave quanto o discurso chantagista de Temer fala em colapso, é certo que haverá um abalo na mambembe recuperação da economia.

Fernando Brito

Comentários

comentários

Veja também