Carlos Lima
Hoje dia 27/06/2019 às 10:48:41

Política
Carlos Lima | Publicado em 27/05/2019 às 10:26:02

Bolsonaro reconhece culpa por falta de diálogo e propõe pacto com Legislativo e Judiciário

Bolsonaro reconhece culpa por falta de diálogo e propõe pacto com Legislativo e Judiciário MAURO PIMENTEL VIA GETTY IMAGES

O presidente Jair Bolsonaro reconheceu em entrevista no domingo que precisa conversar mais com as lideranças do Congresso, afirmando ter parte da culpa pela falta de diálogo, e disse que vai propor nesta semana um pacto aos presidentes do Legislativo e do Judiciário para colocar o Brasil no destino que a população quer.

Ao comentar a relação com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com que já teve atritos públicos, Bolsonaro disse que eles deveriam conversar mais, e afirmou que irá se encontrar nesta semana com o deputado e também com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para alinhar a articulação do governo com o Congresso.

“Vou conversar com ele (Maia) durante a semana novamente, bem como com o Davi Alcolumbre, como pretendo conversar novamente com o Dias Toffoli (presidente do Supremo Tribunal Federal), para a gente ter um pacto entre nós para colocar o Brasil realmente no destino que toda a população maravilhosa quer”, disse Bolsonaro em entrevista à TV Record.

Bolsonaro disse que os Poderes estão em harmonia e descartou um “litígio”, mas reconheceu que é preciso melhorar a articulação para que o Congresso vote as pautas de interesse do governo.

“Nós não estamos em litígio, deixando claro, estamos em harmonia, mas acho que falta conversar um pouco mais e a culpa é minha também, para que nós coloquemos na mesa o que nós temos que aprovar, e o que nós temos também que revogar, porque tem muita legislação que atrapalha o crescimento do Brasil”, afirmou.

“Falta nós em Brasília conversarmos um pouco mais e discutirmos o que nós temos que votar em especial, e juntos fazer aquilo que o povo pediu por ocasião das eleições e pediu também por ocasião das manifestações do dia de hoje”, acrescentou, fazendo referência às manifestações de domingo em apoio ao governo.

O presidente também aproveitou a entrevista para se retratar de declaração feita sobre estudantes que foram às ruas de diversas cidades do país em 15 de maio para protestar contra congelamento de recursos para a educação. Na ocasião, o presidente disse que os manifestantes eram “idiotas úteis”.

“Eu exagerei, concordo, exagerei. O certo são inocentes úteis. São garotos inocentes, nem sabiam o que estavam fazendo”, afirmou.

“A garotada foi na rua contra corte na educação. Não houve corte, houve contingenciamento. Eu deixei de gastar, não tirei dinheiro… A molecada foi usada por professores inescrupulosos para fazer manifestação política contra o governo”, afirmou.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Reuters

Comentários

comentários

Veja também