Rogério Correia inclui caso de propina a Paludo em recurso contra Dallagnol.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
(Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados | ABr | Reproduçao)

O deputado federal Rogério Correia (PT-MG) incluiu no recurso contra o procurador Deltan Dallagnol as informações divulgadas pelo portal Uol no último sábado (30) em que o “doleiro dos doleiros,” Dario Messer, acusa o procurador Januário Paludo de receber propina. No recurso, o parlamentar pede o afastamento de Dallagnol do cargo de procurador-chefe da Lava Jato. A peça foi enviada à Procuradoria-Geral da República (PGR) e ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

 “Por todo o exposto, resta claro que os membros da operação ‘lava jato’ devem no mínimo uma explicação à sociedade. (…) A Corregedoria do Ministério Público Federal não pode se omitir, são denúncias graves que precisam de respostas”, afirmou o congressista.

Segundo a reportagem do Uol, “em depoimentos prestados em 2018 à Lava Jato no MPF-RJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro), Juca e Tony afirmaram ter pago US$ 50 mil (cerca de R$ 200 mil) por mês ao advogado Antonio Figueiredo Basto em troca de proteção a Messer na PF e no Ministério Público. Basto já advogou para o doleiro”.

Segundo as reportagens que vêm sendo publicadas pelo Intercept Brasil sobre irregularidades da Operação Lava Jato, Dallagnol mantinha estreita relação com Sérgio Moro, que, na condição de juiz, interferia no trabalho de procuradores, orientando acusações. Feria a equidistância entre quem julga e quem acusa.

Dentre as várias irregularidades da Lava Jato, uma delas foi Dallagnol dar uma palestra à empresa Neoway Tecnologia, citada em delação de lobista envolvido no pagamento a políticos do MDB.

“O procurador da República Deltan Dallagnol fez uma palestra remunerada no valor de R$ 33 mil para uma empresa que havia sido citada em um acordo de delação em caso de corrupção na própria força-tarefa da Lava Jato, mostram mensagens e documentos obtidos pelo The Intercept Brasil e analisados em conjunto com a Folha”, disse a matéria de Flávio Ferreira, Amanda Audi e Leandro Demori, publicada pelo Intercept em parceria com o jornal Folha de S.Paulo.

247

OUTRAS NOTÍCIAS