Carlos Lima
Hoje dia 22/07/2017 às 00:35:30

Prefeitura
Carlos Lima | Publicado em 07/06/2017 às 11:27:28

Reuniões das Pré-Conferências têm atraído números recordes de populares

Reuniões das Pré-Conferências têm atraído números recordes de populares

A crescente participação popular nas Pré-Conferências Municipais de Assistência Social em Feira de Santana está sendo comemorada pelos coordenadores e coordenadoras. Desde o dia 23 de maio até o dia 15 deste mês, estarão serão 23 reuniões contemplando todas as regiões de abrangência dos 15 Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), três Centros de Referência Especializada em Assistência Social (CREAS) e mais o Centro Pop (População de rua).

As Pré-Conferências são realizadas em seus respectivos territórios, tantos na zona urbana quanto rural de Feira de Santana, pela manhã e à tarde. E a presença popular reflete o engajamento dos feirenses na elaboração de prioridades a serem inseridas na estrutura de ação do Serviço Único de Assistência Social (SUAS).

Em cada reunião, dezenas de pessoas da comunidade, inclusive quem mais utiliza os serviços sociais instituídos no país e desenvolvidos em Feira de Santana, estão presentes. E dando sugestões para inclusão ou melhoria de ações que fazem toda a diferença na inclusão social e garantia de direitos.

Em algumas regiões administrativas, as reuniões das Pré-Conferências têm atraído números recordes, com a presença de uma centena de pessoas ou até mais.

As reuniões são promovidas pela Secretaria de Desenvolvimento Social, através dos CREAS, CRAS e Centro Prop, mobilizando pessoas da comunidade, a exemplo de usuários dos serviços, jovens, adultos e idosos, representantes de entidades e também portadores de necessidades especiais diversas. Uma oportunidade para contribuírem para a elaboração de novas ações de abrangência local, estadual e até nacional.

O secretário da Sedeso, Ildes Ferreira, explica que para fortalecer os debates, as pré-conferências estão sendo organizadas em quatro eixos, tendo como temas “A proteção social não-contributiva e o princípio da equidade como paradigma para a gestão dos direitos socioassisteciais”, “Gestão democrática e controle social: o lugar da sociedade civil no SUAS”, “Acesso às seguranças socioassistenciais e a articulação entre serviços, benefícios e transferência de renda como garantias e direitos socioassistenciais” e, por fim, o eixo sobre “A legislação como instrumento para uma gestão de compromisso e corresponsabilidades dos entes fderatvos para a garantia dos direitos socioassistenciais”.

Secom

Comentários

comentários

Veja também