Carlos Lima
Hoje dia 18/10/2017 às 16:33:50

Região
Carlos Lima | Publicado em 31/05/2017 às 13:40:05

Em quatro horas, Recife registrou chuva esperada para quatro dias, afirma prefeitura

Em quatro horas, Recife registrou chuva esperada para quatro dias, afirma prefeitura

Prefeitura do Recife informou, nesta quarta-feira (31), que em quatro horas choveu 72 milímetros. Esse índice pluviométrico é equivalente ao esperado para quatro dias. A média histórica de maio, segundo a administração municipal, é de 329 milímetros. Em Pernambuco, três pessoas morreram desde o início das chuvas, na semana passada. Mais de 55 mil pessoas estão fora de casa na Zona da Mata e no Agreste.

Segundo a prefeitura, no início da manhã, foram registrados pontos de alagamentos e engarrafamentos em varias regiões da cidade. O período de maior intensidade de chuvas coincidiu com a maré alta. O pico da maré ocorreu às 8h30.

Outras ocorrências agravaram a situação do trânsito na capital pernambucana. A Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) registrou duas ocorrências com árvores. Uma na Rua Padre Roma, na Tamarineira, na Zona Norte, e a outra na Rua Arquiteto Luiz Nunes, na Imbiribeira, na Zona Sul.
Entre meia-noite e 9h, seis acidentes foram registrados. Desse total, cinco não tiveram vítimas. Não houve registros de ocorrências com mortes.

No mesmo período, 24 semáforos apresentaram falhas. Desse total, quatro tinham sido consertados até as 9h30. O Recife conta com 641 sinais de trânsito.

Recife tem 3 mil pontos considerados de alto risco de deslizamento (Foto: Alexandre Morais / G1)

Recife tem 3 mil pontos considerados de alto risco de deslizamento (Foto: Alexandre Morais / G1)

Defesa Civil

Nesse período, a Defesa Civil do Recife recebeu 26 chamados para vistorias e colocações de plásticos de proteção em barreiras. A Defesa Civil conta com 140 profissionais de plantão. Em caso de emergência, a população do Recife pode solicitar atendimento através do fone 0800.081.3400. A ligação é gratuita e a Central de Atendimento funciona 24 horas.

Drenagem

A Emlurb informa que atua para diminuir os transtornos causados pelas chuvas e monitora os pontos de alagamento na cidade. As equipes do órgão realizam intervenções com três caminhões equipados com jatos para a sucção da água em diversos pontos da capital, especialmente nas partes mais baixas. Ao todo, cerca de 200 homens estão mobilizados para o trabalho nos pontos de alagamento e remoção de árvores. As solicitações podem ser realizadas pela Central 156.

Na Zona Oeste do Recife, chuvas desta quarta-feira (31) causaram transtornos para população (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

Na Zona Oeste do Recife, chuvas desta quarta-feira (31) causaram transtornos para população (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

Engarrafamentos

A CTTU informou que há trechos alagados na Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, na Imbiribeira, na Zona Sul Veículos têm dificuldade para trafegar nos dois sentidos.

Na mesma região, há problemas na Avenida Antônio de Góes, no Pina, perto do Túnel Josué de Castro. No bairro, há áreas alagadas na Avenida Domingos Ferreira.

Na área central, estão alagados trechos das Avenida Dantas Barreto e Sul. O Cais José Estelita, que liga a Zona Sul ao Centro, tem retenções de tráfego na área do bairro da Cabanga.

Estado

Em Pernambuco, há 55.176 pessoas obrigigadas a deixar as casaspor causa das chuvas e das enchentes. São 3.081 desabrigados, que perderam as residências, e 52.095 desalojados, que estão em abrigos ou moradia de parentes, temporariamente.

Até a terça-feira (30), eram 4,8 mil moradores do estado prejudicados. Desde o início das chuvas, na semana passada, três pessoas morreram. Duas em Lagoa dos Gatos, e um em Caruaru, no Agreste.

Segundo o estado, ao todo, 29 cidades registraram chuvas. Desse total, 24 municípios estão em emergência, que foi decretada na terça-feira pelo governo pernambucano. Nesta quarta, o governo federal editou uma portaria no Diário oficial da União e reconheceu a situação.

Além das cidades em emergência, há problemas em São José da Coroa Grande e Escada, na Mata Sul, bem como Cupira, Bonito e Gravatá, no Agreste.

Donativos

O governo de Pernambuco enviou uma remessa de donativos para os  24 municípios do interior do estado atingidos pelas chuvas e enchentes. O Gabinete de Crise instalado no palácio do Campo das Princesas, sede da administração estadual, revelou que foram encaminhados 24 toneladas de alimentos, além de 18 mil litros de água e 9 toneladas de itens de higiene e limpeza.

Nesta quarta-feira, o governo federal reconheceu a situação de emergência nos seguintes municípios: Amaraji, Água Preta,Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Caruaru, Catende, Cortês, gameleira, Ipojuca, Jaqueira,Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos, Maraial, Palmares, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, Sirinhaém, Tamandaré, Xexéu.

 

Donativos são recolhidos para entregar a vítima das chuvas na Mata Sul (Foto: Renato Ramos/TV Globo)

Donativos são recolhidos para entregar a vítima das chuvas na Mata Sul (Foto: Renato Ramos/TV Globo)

Alerta

Na terça-feira (30), a  Agencia Pernambucana de Águas e Clima (Apac-PE) emitiu um alerta de precipitações com intensidade de moderada a forte na Zona da Mata e na Região Metropolitana do Recife (RMR). Emitido às 17h40, o aviso é válido até o mesmo horário da quarta-feira (31).

No Recife, a Defesa Civil do município recomenda que moradores de locais de risco procurem abrigo em locais seguros, em caso de necessidade. O órgão mantém um plantão permanente de 24 horas, podendo ser acionado através do telefone 0800 081 3400. A ligação é gratuita.

Entenda as chuvas

No Nordeste, as chuvas ocorrem por causa de um fluxo de vento que vem do oceano carregado de ar úmido, formando nuvens carregadas na costa e na Zona da Mata. De acordo com o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia, trata-se de um sistema chamado onda de leste, comum nesta região no outono e inverno.

G1 PE

Comentários

comentários

Veja também