O que as linhas do seu rosto dizem sobre você?

Cada marca de expressão de uma pessoa conta uma história sobre ela, como um mapa emocional.  É este o princípio da fisiognomia, técnica de análise da personalidade por meio dos traços de expressão do rosto.
“A microexpressão facial não se controla”, diz a especialista Valquiria Martinez, autora do livro “Os Mistérios do Rosto” (Editora Madras). Saber o que está se passando na cabeça de alguém não demanda tanto conhecimento. Por mais que existam mais de 10 mil expressões faciais, todo bebê já demonstra seis básicas: alegria, tristeza, medo, surpresa, nojo e raiva.
A testa, ou a região mental do rosto, diz muito sobre a saúde emocional de uma pessoa. Fique atento às linhas da parte superior da face. “Se forem retas, a emoção é constante e equilibrada. Se a pessoa oscila muito emocionalmente, essas linhas ficam falhadas. Quando estão voltadas para baixo, a autoestima é elevada, beirando até a prepotência. Os contornos e a figura geométrica do rosto também contam na leitura. A figura vertical, de rosto bem comprido, é o das ideias, da teoria. Já o horizontal é ligado à prática, à ação. “O rosto muito comprido denota uma pessoa insegura ou reservada. O rosto horizontal aponta uma pessoa extrovertida”, diz Valquiria.
Os traços hereditários são imutáveis – o formato e tamanho dos olhos, boca e nariz, por exemplo. Os demais vão sendo modificados conforme o meio-ambiente e as escolhas de vida – hábitos como fumar, tomar sol em excesso e ter uma alimentação desregrada alteram as características da pele.
Se os traços da fisionomia são alterados pelas expressões, o estado emocional pode ser um aliado poderoso na busca pela estética. “Sentir o mundo melhor faz com que a musculatura erga-se. A pessoa que está sempre sorrindo cria a máscara do teatro da alegria, e não a do drama”, recomenda Valquiria.

Fonte: Redação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS