Praga ameaça destruir plantações no oeste

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

A praga denominada Helicoverpa Zea, lagarta específica da cultura do milho, este ano avançou para outras culturas do Oeste, principalmente a soja e o algodão, chegando a dizimar algumas áreas e acarretando prejuízos incalculáveis para a socioeconomia local.

A solução imediata é a aceleração no processo de registro dos produtos agroquímicos, uma vez que não existe nenhum produto desta natureza registrado especificamente no uso dessas culturas, para combater a lagarta. Por vias normais, o registro pode demorar anos para ser aceito, pois depende da aprovação do Ministério da Agricultura, do Ministério do Meio Ambiente, através do Ibama e do Ministério da Saúde, através da Anvisa.

Alertado, o secretário de Agricultura, Eduardo Salles, acionou o governador Jaques Wagner, que pediu a imediata interferência da presidente Dilma Rousseff. A Lagarta-das-Espigas do milho, como também é conhecida a Helicoverpa Zea, apareceu no início de 2012 em muitos municípios da região Oeste, expandindo para as lavouras de soja, algodão e feijão, prejudicando a produção de grãos na safra, pois esta espécie de mariposa tem preferência por atacar as partes reprodutivas das plantas, a espiga (milho), a vagem (soja e feijão) ou a maça (algodão).

Fonte: Bahia Negócios

OUTRAS NOTÍCIAS