Notícias curtas

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Não? Para a secretaria de Esportes

 

A declaração do Secretário de Cultura Esporte e Lazer, Jailton Batista de é contra a criação de uma secretaria de Esportes, não foi bem vistas por seguimentos esportivos da cidade.

 

Criar uma secretaria de esportes não é cabide de empregos. Mas, sua operacionalidade depende da visão e da competência de quem assume e da disposição do governo em difundir a prática esportiva. Os exemplos estão nos países mais desenvolvidos, não preciso minudenciar o tema…

 

O Brasil vai sediar as Olimpíadas… Nossa prática esportiva é decepcionante, mesmo sendo um país de dimensões continentais…

 

Se o país está nessas condições o que dizer de Feira de Santana?

 

Pintura da Câmara

 

Pintura da câmara Municipal. – Muitos têm criticado a decisão do presidente da Casa, vereador Justiniano França, dizendo ser dispensável e um desperdício de recursos públicos, e que a pintura está em condições de ser conservada.

 

Discordo dessa posição, desperdício de recursos públicos acontece em outras ações administrativas, que são mantidas ao longo do período Legislativo e que a imprensa na maioria das vezes não toma conhecimento ou quer tomar conhecimento.

 

Nós estamos entrando em outros períodos legislativos, muitos vereadores que foram reeleitos trocaram de gabinete e os novos estão recebendo seus gabinetes pela primeira vez. É lógico, que devem receber uma pintura nova e conservá-la pelos próximos dois ou quatro anos.

 

Unidades Físicas de Saúde, atendimento e serviços.

 

Na rede pública e na rede privada de saúde em Feira de Santana, o maior problema não é a qualidade profissional dos médicos.

 

Algo que é insustentável e indefensável são as condições físicas, o atendimento e os serviços que são disponibilizados aos pacientes, acompanhantes, ou seja, aos usuários desses serviços.

 

Na rede pública é um desastre total, na rede privada alguns prestadores de serviço conseguem ofertar um serviço regular e a devido a necessidade, aceitável.

 

Essa realidade em Feira de Santana precisa ser analisada pelo poder público e pela rede privada de saúde.

 

Urgência e Emergência no Hospital Clériston Andrade.

 

Estou cansado de ouvir justificativas sobre as péssimas condições de atendimento na urgência e emergência do Hospital Geral Clériston.

 

As autoridades dizem e sabem que a demanda, ou seja, a quantidade de pacientes que se dirigem ao Hospital Clériston Andrade é muito grande, ele é um hospital regional e não possui condições de atender a demanda.

 

Muito bem, esse reconhecimento existe a mais de 10 anos e o hospital não foi ampliado, o município implantou cinco policlínicas, mais de 100 unidades de saúde básica e de atendimento à família, e o hospital não conseguiu sair das dificuldades apresentadas como motivo do seu péssimo atendimento.

 

Onde estão os investimentos necessários e obrigatórios do Estado e da União para atender o segundo município do estado da Bahia.

 

O atendimento do SUS deveria ser responsabilidade operacional da União, Estado e município. Não se entende uma divisão política de um serviço que é universal, ou seja, todos têm direito a esse serviço.

 

Dizem que a medicina mercantilista é responsável por essa divisão, e que a sua atuação tem como finalidade desqualificar e desestabilizar o Sistema SUS. Eles seriam os principais beneficiados. Acredito nisso.

 

O governo do Estado alega que o poder municipal de Feira de Santana deveria construir um hospital, o Hospital Clérisotn Andrade há muito tempo funcionou com servidores do município, quando se falou em retirar esses servidores, alegaram que sem eles o hospital não tinha condições de funcionar.

 

Se até hoje não houve uma resposta positiva para superar as dificuldades de atendimento no hospital Clériston Andrade, é porque não houve vontade política para resolvê-lo. Seja em que governo for.

Fonte: CL/LUZIA

OUTRAS NOTÍCIAS