A Iniciação Maçônica

Esse, para mim, é o momento mais importante da maçonaria, pelo qual o profano se torna Aprendiz.

A Iniciação é processo que transforma todos, na maçonaria, em Irmãos.

É fascinante. Vejamos: Um homem, como eu, de cabelos brancos, na meia idade, rapidamente, como um passe de, se torna Irmão de outros homens e mulheres, que na maioria das vezes não teve a oportunidade e a honra de conhecer nem pai e nem mãe e que eram ilustres desconhecidos até aquele momento.

Isso acontece só na verdadeira Iniciação Maçônica.

A Iniciação é a morte do profano, não a morte física, mas a morte simbólica. É como a passagem por uma porta que dá acesso a outro lugar. E a saída desse lugar significa a entrada em uma nova vida. É na realidade o renascimento espiritual.

Meus Irmãos a Iniciação ultrapassa a barreira do fogo, fogo que separa o mundo profano do mundo sagrado, e, dessa forma, o Iniciado passa por uma transformação, abandonando o mundo profano, mudando de nível. Ele sai do mundo terreno, transmuta-se para o espiritual.

A Iniciação é uma metamorfose, o Iniciado morre aos olhos do mundo, faz uma regressão, para renascer na filosofia Maçônica.

Esse renascimento pode até ser comparado ao retorno ao ventre da própria mãe, à caverna, como disse o nosso Irmão Giba. Ele entra pelas trevas e sai para a luz, como Aprendiz.

Atualmente, aqueles que se consideram possuidores de mentes modernas, não conseguem compreender o real significado moral e espiritual do processo de Iniciação, que era uma característica de todas as grandes religiões e corporações da antiguidade.

Na verdade, o homem considerado moderno não está mais sensível aos mistérios do espírito. A separação entre o homem da idade moderna e o homem da antiguidade não é apenas uma questão de tempo.

Essa separação é mental. Não podemos compreender o comportamento dos antigos porque perdemos a capacidade de perceber, sentir e de entender o seu pensar.

A mente do homem considerado moderno está sobrecarregada de preconceitos, ganancia, está inundada pela racionalidade da sociedade consumista.

Na verdade o homem moderno encara a morte simbólica da Iniciação apenas como uma experiência psicológica, quando na verdade, a morte da Iniciação é a representação da morte diante dos olhos do mundo. Representa a superação da condição profana.

Por isso é preciso conhecer a história da Maçonaria. Porque para entender o real significado de uma Iniciação é preciso que se retorne ao primeiro povo que a utilizou de forma sistemática e coerente: o povo egípcio.

Fonte: Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS