Feira de Santana está se tornando uma cidade contra o cidadão

É verdade. Feira de Santana tem se transformado numa cidade que prega contra o seu próprio cidadão.

Se fossemos descrever todos os fatos e motivos pelos quais se pode chegar a essa conclusão, estaríamos fazendo um livro de quase infinitas páginas.

Entretanto para não deixar apenas ao critério da imaginação dos nossos leitores, vou enumerar alguns motivos.

1 – Ausência de denúncia e punidade para os desmandos do governo de Tarcízio Pimenta, entre eles, merenda escolar, fardamento escolar, compra dos 300 bebedouros “digitais”, os condensadores de água para as escolas municipais no valor individual de R$ 6.800,00, que foi um verdadeiro fiasco.

2 – Hospital da Mulher e Hospital Municipal da Criança completamente sucateados.

3 – Recursos exorbitantes, muito acima do normal, aplicados na Saúde Digital, sem funcionamento. Ninguém sabe aonde foi parar tanto dinheiro do povo.

4 – Programa Feira Digital, com internet para todos. Onde estão os recursos que dizem terem sido aplicados na compra de equipamentos. Cadê? A internet não funciona. A internet e os equipamentos sumiram, escafederam-se…

5 – Dívidas com fornecedores e imprensa, tudo indica que jamais serão pagas…

6 – Caos no centro comercial da cidade. O centro se transformou numa imensa favela, num campo de refugiados.

7 – Os calçadões estão cheios de barracas, até na Rua Manoel Vitorino e no beco do ginásio o problema sofre do descaso e abandono por parte do poder público.

8 – Ruas destruídas pela Embasa e as aquelas que dizem terem sido recuperadas, estão em péssimas condições de trafegabilidade.

9 – Conivência com a desobediência civil. Na Avenida João Durval Carneiro, pavimentada a asfalto quente (CBUQ), cinco moradores, entre eles dois comerciantes, jogam água servida na avenida e o poder público permite.

10 – Sinaleiras sem contemporizadores e com dispositivo eletrônica de sinal e velocidade (radar) instalados a uma distância que compromete a lisura do controle, como na Avenida João Durval e também quase em frente ao Clube Ali Babá. (entre outros).

12 – No centro da cidade o cidadão disputa espaço com carrinhos de mão, motocicleta e demais veículos. Fila dupla de veículo virou tradição.

13 – Os pontos de ônibus estão tomados por comerciantes ambulantes, os carros particulares param nos pontos fazendo ligeirinho e os ônibus param no meio da rua.

14 – Nada muda no Centro de Abastecimento. Continua a imundice, o mau cheiro e a desorganização se tornaram padrão de qualidade. As necessidades fisiológicas não podem ser feitas nos sanitários, estão sendo satisfeitas a céu aberto, nas barracas, nos muros e nos próprios locais de comercialização.

Por enquanto isso pode ser o início dos motivos pelos quais Feira de Santana está se tornando uma Cidade contra o Cidadão. Existem motivos para todos os padrões, principalmente os políticos. Quem sabe um dia resolva enumerá-los.

 

Fonte: Carlos Lima

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS