O Simbolismo Maçônico

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

A nossa existência é uma sucessão de símbolos. As nossas atividades e a nossa vida social é um conjunto de convenções. É um simbolismo.

 

As palavras que nós usamos para exprimir as nossas idéias são meros símbolos, que se usadas isoladamente, para os profanos, não raro, elas nada podem exprimir.

 

De acordo com o ambiente ou com a profissão daqueles que falam, os vocábulos estão sujeitos a mudar de significado. O sentido deles não tem efeito de rigidez. São símbolos e, como tal, estão sujeitos a interpretações.

 

Em todas as religiões há uma parte simbólica, justamente a de mais difícil compreensão, ela é justamente considerada de menor acessibilidade. Existe sempre algo hermético, que nem todos os profanos podem alcançar. Pois se trata do Esoterismo.

 

Quem observar atentamente, ao longo da história, em diversas Igrejas, terminara por reconhecer que numerosas coisas comuns existem nelas.

 

São os símbolos que fazem parte do simbolismo da religião. Elas estão nas fachadas das Igrejas católicas. Por exemplo, no alto existe, ou existia um triângulo.

 

O que será que ele indica? Tradicionalmente, é o símbolo dos antigos Maçons construtores de Igrejas.

 

As colunas, os degraus, os ogivais, a pia, os altares, as lâmpadas e outros detalhes, tudo tem a sua explicação e interpretação. São símbolos.

 

Aí podemos perguntar:

 

Por que o pavimento de quase todas as Igrejas católicas de antigamente, e de todos os templos Maçônicos é um mosaico de ladrilhos pretos e brancos?

 

Por que nas Igrejas católicas bem como nos Templos Maçônicos, existe uma grade separando a parte principal do restante?

 

Por que para penetrar na parte principal, no lado oposto à porta, é necessário subir degraus?

 

Meus irmãos. Existe uma resposta inquestionável para tudo isso. Esses e muitos outros pontos de similitudes são conseqüências de terem sido os mesmos arquitetos, ou, pelo menos, os Maçons pedreiros com as mesmas técnicas, com as mesmas concepções artísticas que construíram as Igrejas e os Templos Maçônicos. O fato confirma que o simbolismo era um só e foi conservado.

 

Na Maçonaria todos os objetos encontrados num Templo, todas as frases proferidas, todos os vocábulos ditos, constituem símbolos e são merecedores de especial estudo, para que possamos interpretá-los, para que seu verdadeiro significado seja conhecido.

 

É lamentável que tenhamos de reconhecer que poucos são os irmãos que estudam os termos maçônicos, que se devotam aos livros em busca do conhecimento do simbolismo.

É sublime o objetivo principal da Maçonaria, o altruísmo, a solidariedade ao próximo e o devotamento fraternal aos seus semelhantes, como também é uma grandiosidade excepcional a beleza do simbolismo.

O seu estudo nos oferta aspectos surpreendentemente belos, e cada vez mais nos seduz e nos atrai.

No entanto, muitos não estudam o simbolismo da Maçonaria e constroem interpretações que fogem da nossa verdade.

Fiquei extasiado com a concepção encantadora do simbolismo da Romã. O Pelicano é um dos mais belos símbolos Maçônicos, ele nos oferece a lição magnífica de dedicação ao próximo, sobretudo à família, nos mostra e nos conduz ao sacrifício extremo de dilacerarmos a própria carne para alimentá-los.

E o que vem a ser o pavimento de mosaico?

Muito bem. Na Igreja católica, ele significa que povos de todas as raças, sem distinção de cor, podem ser acolhidos no Templo de Jesus Cristo. Nele eles serão sempre bem recebidos.

Na Maçonaria existe maior amplitude. Serão recebidas pessoas de todas as raças, de todas as cores e de qualquer credo religioso. Existe maior amplitude porque o espírito de tolerância é pregado pela nossa Ordem.

E os ladrilhos são do mesmo tamanho e os espaços reservados para as cores também são iguais. São iguais para que possamos compreender que todos não só são bem recebidos, como considerados de proporções idênticas.

Nem a cor, nem a raça e nem a procedência social estabelecem distinção entre os Maçons e sim as suas virtudes, o seu saber e a nobreza de suas ações em prol dos semelhantes, em benefício da Humanidade.

Muitos por desconhecerem e por vedarem seus olhos, ficam ou desejam ficar impossibilitados de ver a beleza das lendas Maçônicas, do significado de nossos símbolos.

Outros que se dizem nossos inimigos se esquecem de que todas as religiões e todas as atividades humanas têm o seu simbolismo.

Os fanáticos, – não me dirijo aos católicos, romanos ou não, porque sou católico e de livre pensamento religioso, – desconhecem que muitos e muitos dos símbolos existentes em nossos Templos são encontrados também nas Igrejas.

A Maçonaria não é possuidora nem depositária de nenhum segredo. A Maçonaria, no seu vocabulário Maçônico moderno, a palavra segredo, deve ser entendida como discrição. Somos discretos.

 

 

Fonte: Carlos Lima + David Hume, Jeremy Bentham, Kant, Heidegger, Peter Singer e outros

OUTRAS NOTÍCIAS