Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaristas revoltados com filme ‘Não Olhe para Cima’ produzem festival de pérolas

O filme ‘Não Olhe para Cima

Apoiadores de Jair Bolsonaro inundaram as redes sociais com pérolas relacionadas a ‘Não Olhe para Cima’.

“Estão revoltados porque se viram no espelho”, ironizou um usuário. Estrelado por DiCaprio, Meryl Streep e Jennifer Lawrence, filme é a crônica perfeita dos tempos atuais

O filme ‘Não Olhe para Cima’, lançado pela Netflix no último dia 24 de dezembro, tem dominado as discussões nas redes sociais e provocado revolta particularmente em apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O filme conta a história de dois astrônomos que descobrem um cometa mortal vindo em direção à Terra, mas são descreditados quando tentam alertar a população sobre o perigo.

O elenco estrelado chama a atenção: tem Meryl Streep, Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence e Timothée Chalamet. Muitos viram o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, na personagem interpretada por Streep.

Os personagens que se recusam a levar a ameaça a sério foram vistos como referências aos negacionistas que ignoram dados científicos sobre temas como a emergência climática e a pandemia de covid-19.

“Em ‘Não olhe para cima’, o meteoro assume o lugar do vírus, mas os subterfúgios utilizados para que as pessoas esqueçam que há um meteoro vindo em direção à Terra são os mesmos: ‘sigam as suas vidas’ e ‘a economia não pode parar’”, pontuou Marcelo Hailer, pesquisador da PUC.

“Ao terminar de assistir ao filme, muita gente pode pensar: ‘poxa, mas isso perto do Brasil é nada’, mas provavelmente a missão principal do longa é nos lembrar da barbárie que estamos vivendo. Ainda temos um ano de governo Bolsonaro pela frente. O que o filme quer informar, a partir de sua narrativa e estética tragicômica, é que ‘já pode ser tarde demais’”, acrescentou Hailer.

Reações
“Quem escreveu o roteiro do filme também escreveu o roteiro do Brasil”, comentou um internauta.

“Os bolsonaristas estão revoltados porque se viram no espelho”, ironizou outro. “Leonardo DiCaprio pode não ter incendiado a Amazônia, mas anda tirando a graça de quem odeia a ciência. O filme satiriza o apocalipse ao denunciar que a idiotice e ganância acabarão com o planeta”, acrescentou mais um.

As reações dos seguidores de Bolsonaro chamaram a atenção. “Esse filme é uma propaganda comunista e globalista que merecia ser boicotado. O que acham de organizarmos um boicote?”, sugeriu um usuário.

Mas as principais pérolas foram produzidas por bolsonaristas que se destacaram pela total incapacidade de interpretação do filme.

“Pense nas pessoas te alertando sobre a farsa das vacinas e você ‘não olhando para cima’. Pense também nas pessoas te alertando sobre a eficácia do ivermectina e da cloroquina e você ‘não olhando para cima’”, protestou um apoiador do presidente.

“Pois é, cientistas isentos tentaram avisar ao mundo sobre o risco da vacinação e os governos e a população negando, bancando os especialistas”, acrescentou uma outra seguidora de Bolsonaro.

“Podem falar o que quiser, mas esse filme retrata muito mais a militância esquerdista esquizofrênica e a cumplicidade da mídia, que nega e oculta os perigos das vacinas experimentais e ineficazes”, esbravejou outro bolsonarista.

Uma das cenas do filme relembrou os brasileiros do dia em que a bióloga Natália Pasternak se exaltou no Jornal da Cultura, no auge da pandemia:

O Diretor de ‘Não Olhe para Cima’, Adam Mckay venceu o Oscar em 2019 com o filme “A grande aposta” (2019) e um Emmy de melhor direção com a série “Succession” (2020).

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS