Tempo - Tutiempo.net

Dia do Maçom foi comemorado no Legislativo feirense

Irmão Gilberto Lima Ex- Grão Mestre do GOBA e presidente da COMAB, homenageado e palestrante

A comemoração do Dia do Maçom, evento que foi adiado de sua data original para o dia 16 deste mês, terça-feira na Câmara Municipal de Feira de Santana, teve a participação de representantes das diversas Lojas Maçônicas existentes na cidade. Muitos deles foram homenageados com a entrega de medalhas.

No entanto o trabalho social desenvolvido por mulheres e meninas na Maçonaria feirense foi um destaque, a parte.

Camila Damasceno, responsável pelo Betel 05 (Filhas de Jó), que desenvolve trabalho com meninas adolescentes, destacou a importância do trabalho feminino na Maçonaria.

“As mulheres desempenham um papel fundamental, que é o trabalho social de meninas de 10 a 20 anos. Também implantamos as Gotinhas de Mel, que são meninas de 05 a 10 anos sendo preparadas para falar em público, dentro do trabalho feito pela Filhas de Jó, entre outras coisas.

Muitos dizem que esta é uma escola para a vida, já que são preparadas para servir, através da assistência comunitária, sempre refletindo a essas perguntas: ‘qual o meu papel social?’, ‘o que tenho feito para melhorar a vida das pessoas?’”.

Para rebater alguns “conceitos distorcidos” a respeito da Maçonaria, Camila Damasceno, destacou a curiosidade e falsas informações que giram em torno da organização.

“As pessoas têm muita curiosidade e, por conta disso, criam muitas histórias”, disse, ao convidar a população para conhecer e participar.

“Há diversos grupos onde você pode se encaixar: mulheres, jovens, meninos e meninas”.

Um dos homenageados da noite, Irmão Gilberto Lima, Ex-Grão Mestre do GOBA e ex-presidente da COMAB, falou em nome da Maçonaria de Feira de Santana, fez um resgate histórico do surgimento da Maçonaria até os tempos da Inquisição, com o objetivo de desmistificar as histórias falsas que foram criadas em torno da entidade.

“Fatos históricos ajudaram a dar vida às lendas que circundam a Maçonaria no final da Era das Trevas, com o surgimento do Iluminismo e o Protestantismo”, pontuou, ao falar como a Maçonaria foi mal falada pela Igreja Católica.

“Naquele tempo já havia fake news, e era ainda pior, porque uma mentira dita por uma autoridade eclesiástica era tida como verdade. Mas isso é coisa do passado. A Igreja Católica já desfez essa falsa visão da Maçonaria”, disse ao ressaltar um dos princípios da entidade:

“Nós trabalhamos para sermos cada dia melhores. Não somos perfeitos, mas trabalhamos para nos melhorar”.

Foi uma palestra bastante educativa e elucidativa.

A sessão foi presidida pelo vereador Silvio Dias (PT), que também é maçom. Além do  Irmão Gilberto Lima e Camila Damasceno, a mesa de honra foi composta pelo Irmão Jairo Vitor, da Loja Maçônica Segredo, Luz e Força; tenente-coronel Adriano Bertolino, comandante do 2º Grupamento de Bombeiros Militar e deputado estadual Carlos Geilson.

O prefeito Colbert Martins e o deputado federal Zé Neto foram representados por Fanael Ribeiro e Aurelino Bento, respectivamente. Estiveram presentes os vereadores Pedro Américo (DEM), Pedro Cícero (Cidadania), Professor Ivamberg (PT) e Luiz da Feira (Pros).

cljornal com informações da Ascom – Foto Ascom.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS