Tempo - Tutiempo.net

Morre o poeta Thiago de Mello, 95, autor de Canto Geral, Estatutos do Homem e vasta obra

Morre o poeta amazonense Thiago de Mdello

A morte do poeta, tradutor e ensaísta amazonense Thiago de Mello, que faleceu de causas naturais na manhã desta sexta-feira (14), aos 95 anos, foi lamentada pela classe cultural do Brasil.

Entre os que prestaram homenagem ao autor de poemas como “os Estatutos do homem (Ato Institucional Permanente)”), escrito logo após o golpe militar de 1964, e de versos como “Faz escuro, mas eu canto, / Porque a manhã vai chegar”, está o escritor e biógrafo Fernando Morais.

“Morreu hoje aos 95 anos o poeta Thiago de Mello, uma das maiores expressões da poesia brasileira. Thiago vivia há décadas em Barreirinhas, no Amazonas, em uma casa-palafita projetada por Lúcio Costa, um dos criadores de Brasília.”

“Publicado em dezenas de idiomas, ficamos amigos há sessenta anos, unidos pelas mãos do poeta cubano Roberto Fernandez Retamar. Além de toda a obra, Thiago se celebrizou internacionalmente por “Faz escuro mas eu canto”, trecho de seu poema “Madrugada camponesa”, transcrito abaixo.

Mello, conhecido como o “poeta da floresta” pela sua defesa em prol da Amazônia, também foi alvo de diversas ameaças de morte após denunciar as atividades ilegais da madeireira holandesa EcoBrasil Holanda-Andirá na região, em 2017.

Melo também exerceu o cargo de adido cultural no Chile no período que antecedeu o golpe militar de 1964. Ele renunciou ao posto pouco após o golpe ser consumado no Brasil.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS