Airbus reassume liderança mundial após fiasco do 737 MAX da Boeing

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Airbus reassume liderança mundial após fiasco do 737 MAX da Boeing. Foto: © Sputnik / Vladimir Sergeev

Em 2019, a companhia europeia alcançou seu recorde de remessas, enquanto que nos primeiros meses do ano a Boeing, sua competidora norte-americana, vendeu duas vezes menos que no ano anterior.

A Airbus forneceu 863 aeronaves em 2019, o que representa uma alta de 7,9% em relação a 2018, recolocando a empresa no primeiro posto na indústria de aeronaves, segundo “fontes próximas da construtora” citadas pela agência Reuters.

O total de 863 aeronaves entregues representa um recorde jamais alcançado anteriormente por uma construtora, permitindo a empresa reassumir o primeiro posto no setor, que era ocupado pela Boeing desde 2011.

Obrigada a reduzir e depois a suspender a produção de seu modelo 737 MAX, a Boeing foi amplamente superada por sua concorrente e afastou seu último diretor-geral, Dennis Muilenburg, que abandonará o cargo ainda este mês.

Boeing entregou 345 aeronaves em 11 meses

Enquanto a Airbus supera suas próprias vendas, a Boeing anunciou ter entregado 345 aeronaves entre janeiro e novembro, metade do que entregou nos primeiros onze meses de 2018, quando a norte-americana forneceu 704 aviões.

No entanto, o gerente comercial da Airbus, Christian Scherer, afirma que a companhia não foi beneficiada diretamente pelas dificuldades do modelo 737 MAX. Citado pela revista L’Usine Nouvelle, em novembro, o diretor afirmou que: “À questão sobre se a Airbus se beneficia dos problemas deste avião, a resposta é claramente não […] se as companhias que aguardavam pelo 737 MAX nos chamarem, a Airbus será obrigada a educadamente informar que não podemos fazer muito por elas a curto prazo”.

Sputnik

OUTRAS NOTÍCIAS