Jovem com deformações no rosto sofre preconceito

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Luciene Anselmo de Faria, de 26 anos, sofre com as consequências de uma má formação no rosto. A jovem que mora em Peruíbe, no litoral de São Paulo, tem um problema na mandíbula que deixa o seu rosto torto e lhe prejudica no dia a dia. Comer, por exemplo, ela consegue, porém, respira apenas pela boca, às vezes, sente falta de ar. Além disso, Luciene nasceu sem uma das orelhas e não escuta nada do lado direito.

Por conta disso, Luciene enfrenta o preconceito desde a infância. “Minha mãe falou que eu nasci assim. Sou assim desde criança. Eu chorava muito e não queria ir para à escola. As pessoas falavam que eu usava uma máscara de Halloween”, explica. Mesmo adulta, o preconceito continuou. Ela diz que passa por várias humilhações e nunca conseguiu um emprego por causa da sua fisionomia.

Marcelo Quintela, professor de ortodontia da Universidade Metropolitana de Santos, explica que a jovem cresceu mas sua mandíbula não se desenvolveu, ficando com uma mandíbula infantil. “Alguma coisa aconteceu durante a gestação. É possível que ela tenha tido alguma má formação porque ela também não teve desenvolvimento ouricular”, diz o dentista.

Segundo ele, para solucionar o problema seria necessário realizar várias cirurgias. Quintela e os dentistas Almir Lima Junior, também professor da universidade, e Alessandro Silva, especialista em cirurgia bucomaxilar, já estão realizando um tratamento gratuito com Luciene e a preparando para uma cirurgia mas para ela entrar na mesa de operação, precisa de ajuda porque não tem condições financeiras para pagar o material e a estrutura de um hospital.

Fonte: Redação / G1

OUTRAS NOTÍCIAS