Militares do Brasil ignoram pandemia, pedem mais dinheiro e ameaçam guerra com vizinhos

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Militares querem ampliar poder bélico

Enquanto o Brasil amarga o segundo lugar no ranking global de confirmações (2,6 milhões) e morte (91 mil) provocadas pelo coronavírus, o governo Jair Bolsonaro, por meio do Ministério da Defesa, pleiteia mais dinheiro para a Política Nacional de Defesa (PND), a Estratégia Nacional de Defesa (END) e do Livro Branco de Defesa Nacional (LBDN).

Comandada pelo general Fernando Azevedo e Silva, a pasta apresentou as diretrizes dessas minutas ao Congresso Nacional no dia 22 deste mês.

De acordo com reportagem de Lucas Rezende, no site Intercept Brasil, “pela primeira vez desde a Guerra do Paraguai (1864-1870), o Brasil ameaça formalmente que poderá entrar em guerra contra outro país vizinho para defender seus interesses”.

“Mesmo não mencionando diretamente a Venezuela, a PND afirma que o Brasil ‘poderá ver-se motivado a contribuir para a solução de eventuais controvérsias ou mesmo para defender seus interesses’ – um tom ameaçador inédito ao tratar seus vizinhos em toda a história republicana”, destaca a matéria.

“Se não forem revistas as redações da PND, END e do LBDN, corremos o risco de alimentar desconfianças históricas regionais contra o Brasil e de precipitar uma corrida armamentista na região – corrida esta que, com seus parcos 1,4% do PIB em investimentos em defesa, nós talvez não consigamos sustentar”, acrescenta.

Mais um desastre de dimensões catastrófica para o povo brasileiro pode ser protagonizada pelo atual governo federal.

OUTRAS NOTÍCIAS